Sem o goleiro Jefferson, cujas férias foram antecipadas, o Botafogo se despede neste domingo do Campeonato Brasileiro de forma melancólica. O time entra em campo já rebaixado, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, para enfrentar às 17 horas o Atlético Mineiro, que vai atuar com time reserva. O técnico Vagner Mancini ainda não sabe se permanecerá no clube em 2015 e quer, ao menos, encerrar o ano com uma vitória.

O clube alvinegro carioca passa por uma das piores crises de sua história. Com dívidas superiores a R$ 700 milhões, amargará no próximo ano nova passagem pela segunda divisão nacional – caiu também em 2002. Há duas semanas, o administrador Carlos Eduardo Pereira foi eleito presidente e disse que encontrou um cenário pior ainda do que imaginava.

Além do acúmulo de dívidas, incluindo salários atrasados de atletas, pessoal da comissão técnica e de funcionários de vários setores do clube, o Botafogo sofreu tecnicamente com a interdição do Engenhão, para obras emergenciais, com uma equipe fraca e não conseguiu escapar da queda.

Vagner Mancini vai aproveitar a partida deste domingo para fazer algumas observações. Ele conta com a possibilidade de recomeçar um trabalho no Botafogo. Seu nome é bem visto por alguns novos dirigentes do clube – muitos o excluem de responsabilidade no novo rebaixamento.

Sem Jefferson, ele pode escalar Helton Leite, com quem treinou na última sexta-feira, ou Andrey, que foi o titular durante alguns jogos deste ano, em que o titular estava a serviço da seleção brasileira.