Ainda faltam 11 dias para o jogo entre Botafogo e Flamengo, no próximo dia 25, no Engenhão, mas a polêmica já está no ar. Depois da confusão durante o jogo com o Avaí, quando milhares de botafoguenses foram barrados nos portões do estádio, mesmo com ingressos na mão, surgiu o temor de um grande tumulto em um clássico de grande apelo.

A diretoria do Flamengo mandou um ofício à Federação de Futebol do Rio (Ferj) pedindo que todas as medidas de segurança sejam tomadas e até alguns conselheiros do próprio Botafogo pediram que o jogo fosse remarcado para o Maracanã. O presidente botafoguense, Maurício Assumpção, refutou tal possibilidade nesta quarta-feira e garantiu que tudo ocorrerá dentro da normalidade.

“Vale lembrar que não houve sequer um caso de acidente registrado. Para o jogo contra o Flamengo serão tomadas outras medidas: não serão vendidos ingressos no dia da partida, não será comercializada a carga máxima e, como normalmente acontece em clássicos, a Polícia Militar vai acompanhar o trajeto das torcidas organizadas”, comentou Assumpção. “Como presidente, torcedor e pai, sei que possíveis problemas podem repercutir mal, mas o Botafogo precisa exercer seu mando e cabe ao poder público garantir a segurança da população.”

O presidente botafoguense lembrou ainda que a partir do ano que vem, quando o Maracanã fechar para reformas, o Engenhão será o palco dos grandes clássicos cariocas e que o jogo do dia 25 será um bom teste. “A final do Estadual será disputada onde, no Morumbi, no Mineirão?”, questionou.

É importante ressaltar que, como o Flamengo concedeu metade dos ingressos à torcida botafoguense no confronto do primeiro turno, o Botafogo também fará o mesmo e a expectativa é de que a torcida rubro-negra compareça em peso ao estádio do rival.

Antes do Flamengo, porém, o Botafogo precisa se concentrar no Cruzeiro, adversário do próximo domingo, no Mineirão.