O Botafogo se despediu da primeira divisão do Campeonato Brasileiro com mais uma fraca apresentação, que culminou no empate sem gols com o Atlético-MG, neste domingo, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O time carioca já entrou em campo rebaixado e não conseguiu nem mesmo um adeus digno.

O único alento do Botafogo foi não ter sido o lanterna do campeonato. Terminou em penúltimo lugar, com 34 pontos, na frente apenas do Criciúma. E o Atlético-MG, que entrou em campo com os reservas, foi o quinto colocado do Brasileirão, com 62 pontos – já estava na Libertadores por causa da Copa do Brasil.

No jogo deste domingo, ambos os times tiveram postura de quem só cumpria a tabela. Com o rebaixamento confirmado para a Série B de 2015, o Botafogo jogou de forma desinteressada em Brasília. E o Atlético-MG, mesmo sem os seus titulares, poderia ter saído vitorioso se tivesse mais seriedade.

Embora o número de torcedores fosse pequeno e o jogo fosse em campo neutro em Brasília, houve uma briga entre membros de organizadas das duas equipes nas arquibancadas, no fim do primeiro tempo. Policiais apartaram a confusão e detiveram seis envolvidos na confusão.

Desde os minutos iniciais, o Atlético-MG adotou um ritmo mais ofensivo, pressionado o adversário em seu campo de defesa. Assim, chegou facilmente à área botafoguense. Mas faltou objetividade ao ataque atleticano no momento da conclusão final, principalmente do atacante Carlos, que, em mais de uma chance, optou por driblar quando tinha a vista livre para finalizar.

O Botafogo, que adotou uma postura muito recuada no primeiro tempo, voltou do intervalo mais solto. Sem o ímpeto do início do jogo, o Atlético-MG recuou e deixou o adversário criar mais oportunidades. Mas a falta de qualidade do time carioca era evidente, com faltas mal batidas, muitos passes e lançamentos errados e bastante desorganização. Assim, o placar ficou mesmo sem gols.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 X 0 ATLÉTICO-MG

BOTAFOGO – Helton Leite; Régis, Dankler, André Bahia e Fabiano (Andreazzi); Marcelo Mattos, Airton e Gabriel; Murilo (Gegê), Yuri Mamute e Bruno Corrêa (Maikon). Técnico – Vagner Mancini.

ATLÉTICO-MG – Uilson; Alex Silva, Réver (Jemerson), Tiago e Pedro Botelho; Pierre, Eduardo, Marion e Josué; Dodô e Carlos. Técnico – Levir Culpi.

ÁRBITRO – Manuel Nunes Lopo Garrido (BA).

CARTÕES AMARELOS – Fabiano, Maikon e Marcelo Mattos (Botafogo); Pedro Botelho, Eduardo e Jemerson (Atlético-MG).

RENDA – R$ 264.120,00.

PÚBLICO – 3.694 pagantes.

LOCAL – Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).