O Cruzeiro decepcionou sua torcida mais uma vez ao empatar com o Santos por 1 a 1, neste sábado, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar de pressão que impôs desde o início do jogo, realizado na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), a equipe celeste, que ganhava de 1 a 0, vacilou e permitiu que a equipe da Vila Belmiro empatasse aos 44 minutos do segundo tempo.

Apesar do empate, o Santos, que tem a atenção voltada para a primeira partida da decisão da Copa Libertadores, contra o Peñarol, na quarta-feira, entrou em campo com time reserva e jogadores da base e deixou o estádio com sensação de vitória.

Após duas derrotas e um empate na competição, o Cruzeiro entrou em campo desesperado pelos três pontos e partiu para cima do adversário desde a primeira vez que o árbitro Marcelo de Lima Henrique apitou. E só não abriu uma boa vantagem no marcador ainda no primeiro tempo graças às excelentes defesas de Aranha, que parecia ter erguido um muro na frente do gol e se destacou em campo na etapa inicial do jogo.

Nos primeiros 20 minutos, os donos da casa já haviam lançado a bola 12 vezes na área adversária, contra uma do Santos. O Cruzeiro também teve dez chances de gol em bons ataques no primeiro tempo, sendo que seis pararam na defesa santista. Já o Santos, apesar de jogar recuado, também não estava morto e conseguiu três finalizações, sendo que em duas o goleiro Fábio teve que esforçar para não ceder o gol.

No início do segundo tempo, os visitantes pareciam dispostos a dar um pouco mais de trabalho à defesa celeste. Já no primeiro minuto, Rychely fez boa jogada na entrada da área e deu um susto na torcida que lotava o estádio, mas não foi feliz na finalização. Porém, aos quatro minutos, Vinícius deu uma entrada dura em Anselmo Ramon e, como o zagueiro já tinha levado cartão amarelo no primeiro tempo, terminou expulso.

Com um a menos, o técnico Muricy Ramalho resolveu mexer na equipe e substituiu o atacante Tiago Alves por Walace, convocado da base da Vila Belmiro. A troca não foi das mais felizes, pois, um minuto após entrar em campo, o zagueiro derrubou Anselmo Ramon na área e concedeu o pênalti para a equipe celeste. Montillo, que não teve uma apresentação boa durante a maior parte do tempo, bateu e pôs o time da casa na frente.

A alteração e o gol fizeram o Santos recuar ainda mais e o time se fechou completamente na defesa. Já o Cruzeiro, depois de tanto tempo sem vencer, queria mais gols, se manteve no ataque até o fim da partida e criou boas chances com Wallyson – que teve ótimo desempenho durante todo o jogo -, Anselmo Ramon e Fabrício. Leandro Guerreiro, que entrou no lugar de Henrique, também tentou marcar.

No entanto, o arqueiro santista continuava a se sobressair. Aranha não facilitou para os adversários e, com belas defesas, conseguiu segurar a ataque celeste. Aos 36 minutos, Borges colocou a bola no fundo da rede adversária após uma cobrança de falta na área do Cruzeiro, mas o árbitro já havia marcado impedimento do santista. Pouco depois, porém, o mesmo Borges aproveitou uma bola levantada na área e, de cabeça, definiu o placar.

 

FICHA TÉCNICA:

Cruzeiro 1 x 1 Santos

Cruzeiro – Fábio; Vítor (Dudu), Gil, Léo e Gilberto; Fabrício (Pablo), Marquinhos Paraná, Henrique (Leandro Guerreiro) e Montillo; Wallyson e Anselmo Ramon. Técnico: Cuca.

Santos – Aranha; Bruno Aguiar, Vinícius, Rafael Caldeira e Alex Sandro; Possebon, Charles e Roger (Felipe Anderson); Rychely, Tiago Alves (Walace) e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

Gols: Montillo, aos 10, e Borges, aos 44 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Richely (Santos); Henrique, Pablo e Dudu (Cruzeiro).

 

Cartão vermelho: Vinícius (Santos).

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).

Público e renda: não disponíveis.

Local: Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).