O destino do técnico Paulo Afonso Bonamigo vai se cruzar mais uma vez com o do técnico Cuca neste domingo, no Couto Pereira. Os dois se conheceram nos anos 80, dentro dos gramados gaúchos e desde então, vêm esbarrando nos estádios de todo o Brasil. Apesar da amizade de tanto tempo, Bonamigo garante que vencer Cuca no domingo vai ter um sabor todo especial. “Quando a gente era jogador, falava para ele que quando fôsse técnico, ia passar por cima do time dele”, diz Bonamigo, em tom descontraído.

O primeiro contato de Bonamigo com Cuca foi no início dos anos 80, quando o técnico paranista estava no Juventude. “Eu jogava no Grêmio e muitas vezes tive que marcá-lo. Eu falava para ele ir devagar porque se ele não aprontasse, íamos levá-lo para o Grêmio. Acabou indo mesmo, mas lógico que porque dava um trabalho danado às defesas adversárias”, relembra Bonamigo. Dividindo as concentrações, os dois começaram a nutrir uma bela amizade e como tinham um sonho em comum -ser treinador – as conversas acabavam sempre em torno do assunto. “Era tática de jogo a todo o momento. Nós sempre conversámos sobre o que faríamos se fôssemos treinadores.”

Com uma ajuda do destino, tanto Bonamigo quanto Cuca conseguiram realizar o sonho de ser treinador. “Comecei no Madureira e ele no Uberlândia. Acabamos nos encontrando no futebol catarinense, eu comandando o Joinville, ele o Avaí.” Em Santa Catarina, a convivência passou a ser novamente estreita. “Nos enfrentamos várias vezes e a briga sempre foi boa”, diz Bonamigo. Nos bastidores, a disputa era para ver quem tinha os apelidos mais estranhos. “Os apelidos, impublicáveis, acabaram vazando e era um tal de um provocar o outro que não era fácil”, relembra, sem revelar sequer uma das alcunhas.

Por conhecer muito bem o estilo de comando e as armas utilizadas por Cuca – e saber que a recíproca é verdadeira – Bonamigo acredita que este clássico, mais do que outros, será decidido no detalhe. “Não tem muita saída, nós nos conhecemos bem. Mas já estou armando algumas surpresas para o decorrer do jogo. Só não quero aquelas frescuras de treino secreto. Só faço se ele inventar de fazer também”, disse Bonamigo. Sobre favoritismo, Bonamigo assume um discurso respeitoso. “As duas equipes estão atravessando um bom momento na competição e isso é garantia de um ótimo espetáculo. Por isso esperamos casa cheia e que a torcida do Coxa saia mais feliz do Couto Pereira no domingo.”