Foi no sufoco, mas Usain Bolt somou nesta sexta-feira mais uma vitória para o seu incrível currículo. Mesmo pressionado pelo também jamaicano Nesta Carter, ele ganhou a prova dos 100 metros na 10ª etapa da Diamond League, em Mônaco, e ainda fez o seu melhor tempo neste ano: 9s88.

Antes de Mônaco, Bolt tinha conseguido fazer 9s91 neste ano, quando venceu competições em Roma (Itália) e em Ostrava (República Checa). Apesar disso, a melhor marca da temporada nos 100 metros continua com o jamaicano Asafa Powell, que cravou 9s78 em Lausanne, na Suíça.

Bolt, porém, está concentrando sua preparação para a disputa do Mundial de Atletismo, que acontecerá a partir do dia 27 de agosto, em Daegu, na Coreia do Sul. Por isso, ele ainda não atingiu o auge e tem ficado longe do seu recorde mundial na prova, que é de 9s58.

Atual campeão olímpico e mundial dos 100 metros e dos 200 metros, provas em que também é o recordista mundial, Bolt já avisou que nesta temporada, quando volta após um período de lesões, sua preocupação é conseguir vitórias, deixando os novos recordes em segundo plano.

Nesta sexta-feira, na disputa da 10ª etapa da Diamond League (circuito mundial que reúne a elite do atletismo), Bolt teve trabalho para vencer. Nesta Carter liderou a maior parte da prova e, depois de ser superado nos metros finais, terminou em segundo lugar, com 9s90.

O norte-americano Michael Rodgers completou o pódio, ao conseguir o terceiro lugar com o tempo de 9s96. Enquanto isso, o francês Christophe Lemaitre, a nova sensação entre os velocistas mundiais, foi apenas o quinto colocado, atrás também do jamaicano Michael Frater.

Mônaco foi palco da última prova de 100 metros de Bolt antes da disputa do Mundial de Atletismo. Mas ele ainda competirá mais uma vez nos 200 metros, na sexta-feira da semana que vem, em Estocolmo, na Suécia, durante a realização da próxima etapa da Diamond League.

Em outras vitórias de destaque na etapa de Mônaco, o queniano David Rudisha confirmou o favoritismo nos 800 metros (1min42s61), a croata Blanka Vlasic fez o mesmo no salto em altura (1m97) e o britânico Phillips Idowu também conseguiu tal feito no salto triplo (17m36).