A Ponte Preta deve sofrer hoje nova derrota fora de campo. A 2.ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) vai levar a julgamento recurso do Juventude, solicitando os pontos do jogo em que perdeu para a equipe de Campinas, por 1 a 0, em 6 de abril. A alegação é de que Leandro atuara irregularmente. Pelo mesmo motivo, o Internacional obteve os três pontos da partida em que empatou com a Ponte Preta.

Se perder na 2.ª Comissão, o clube poderá recorrer à última instância da Justiça Esportiva, o próprio STJD. Leandro só teria condições de jogo se seu nome tivesse sido publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) até três dias úteis antes da partida.

O BID, documento criado este ano pela CBF para dar mais transparência ao processo de inscrição de atletas nos campeonatos nacionais, vem sendo motivo de controvérsias. Agora é a vez do Atlético-PR reivindicar os pontos do jogo com o Fortaleza, em 20 de abril. O time cearense venceu por 1 a 0 e teria escalado Macedo sem condições legais.

A confusão em torno do BID já chegou à Série B. O Anapolina vai requerer na Justiça os pontos da derrota para o Marília, por 2 a 0, na primeira rodada da Segunda Divisão. Para o clube de Goiás, o atleta Jaílson, do Marília, também atuou de forma irregular.

Enquanto isso, o Botafogo busca saber de quem foi a culpa pela ausência de Dill em seu jogo de estréia da Série B, sábado, quando perdeu para o Vila Nova-GO por 2 a 1. Dill treinou durante a semana com a equipe, estava pronto para entrar em campo e era um trunfo do técnico Levir Culpi. Mas, horas antes da partida, o Botafogo decidiu deixá-lo fora, com medo de uma possível ação do Vila Nova. É que o nome jogador não havia sido publicado no BID na semana passada.

O Botafogo desconhecia, no entanto, uma decisão do presidente do STJD, Luiz Zveiter, que acatou documento emitido pela CBF, permitindo a escalação de atletas que estivessem com seus documentos na CBF, mesmo sem os nomes divulgados pelo BID. Isso valeu para a primeira rodada da Série B, em função dos sucessivos feriados nos últimos dias no Rio de Janeiro.

A medida foi extensiva aos jogos da rodada de fim de semana da Série A. Por isso, o Corinthians pôde escalar Cocito e o Flamengo, Paulo Miranda e Igor, no clássico disputado neste domingo no Pacaembu.