A piloto brasileira Bia Figueiredo quebrou a mão direita na primeira etapa da temporada da Fórmula Indy, no dia 27 de março, em São Petersburgo (EUA). Assim, ela precisou passar por uma cirurgia e não pôde disputar a corrida seguinte, no Alabama, também nos Estados Unidos. E seu retorno às pistas aconteceu no domingo, quando conseguiu apenas a 19ª colocação na prova realizada na cidade norte-americana de Long Beach.

Segundo Bia, o problema na mão atrapalhou a sua performance na corrida em Long Beach, principalmente por causa do bracelete de fibra de carbono que utilizou sobre a luva para proteger a calcificação do osso fraturado. Mas ela acredita que terá melhores condições para a disputar a próxima etapa da Indy, que é justamente a do Brasil, no dia 1º de maio, no circuito de rua do Anhembi, em São Paulo.

“Nós melhoramos o bracelete, aumentamos um pouco a área de contato da minha mão com o volante, mas continuei não conseguindo segurar o volante com a adesão e a força necessárias para ser rápida em Long Beach. Não foi fácil guiar com uma mão só em umas cinco curvas. O braço esquerdo foi ficando muito cansado. Até questionamos se deveríamos ir até o fim, mas decidi ir de qualquer maneira”, contou Bia.

Como ainda sente algumas dores, Bia prometeu fazer tratamento intensivo nos próximos dias para chegar em boas condições na etapa brasileira da Indy. “Agora vou continuar completamente dedicada à recuperação da minha mão para chegar à corrida do Brasil mais competitiva”, avisou a piloto da equipe Dreyer & Reinbold Racing.