Bélgica e Rússia nunca foram consideradas favoritas ao título da Copa do Mundo – e, a julgar pelas dificuldades que tiveram em suas partidas de estreia, dificilmente irão contrariar as previsões. Mas o jogo deste domingo, às 13 horas, no estádio do Maracanã, no Rio, tem seus atrativos. Liderados pelo meia Eden Hazard, os belgas tentarão encaminhar a classificação e a primeira colocação no Grupo H diante dos pragmáticos russos, que tentam chegar à segunda fase pela primeira vez desde a dissolução da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Cabeça de chave, a Bélgica penou para superar a Argélia no primeiro jogo. Mas, apesar disso, a equipe do técnico Marc Wilmots é a favorita para terminar em primeiro no grupo. Isso porque, no papel, o elenco é o mais forte entre as quatro seleções.

O time conta com bons jogadores em todos os setores. Courtois, do vice-campeão europeu Atlético de Madrid, é o goleiro. Kompany, do Manchester City, lidera a zaga, enquanto que Fellaini, do Manchester United, e Hazard, do Chelsea, dão velocidade ao meio de campo. Na frente, Lukaku, também do Chelsea, é a esperança de gols.

“Temos uma boa equipe, sem dúvida. Somos jovens e talentosos, mas esta é nossa primeira Copa do Mundo”, destacou Hazard, tentando tirar a pressão sobre o time, que antes do Mundial era apontado como maior candidato a azarão. O jogador, porém, reconhece que ele e sua equipe fizeram uma partida ruim na estreia. “O que posso dizer é que estamos tentando melhorar a cada dia”.

A Rússia, por sua vez, buscará pelo menos um empate para decidir a classificação contra a Argélia na última rodada. A equipe teve uma partida desgastante na estreia, quando precisou correr atrás do empate com a Coreia do Sul após o goleiro Akinfeev protagonizar o primeiro frango da Copa do Mundo.

A falha chegou a levantar dúvidas sobre a presença do goleiro – um dos principais nomes da equipe – para a partida deste domingo. Mas o técnico da Rússia, o italiano Fabio Capello, apressou-se em garantir a escalação do goleiro. “Assim como alguns jogadores podem perder pênaltis, pode acontecer de um goleiro cometer um erro”, disse. “Você pode aceitar um erro de um grande goleiro como Akinfeev”.

Para o jogo deste domingo, a expectativa é por maior presença ofensiva dos belgas, com os russos explorando os contragolpes. “Nós procuramos ter o controle da partida e jogamos sempre para ganhar”, afirmou Wilmots, que prevê dificuldades para furar o bloqueio adversário. “Se vamos jogar contra uma parede, temos que aprender a ser pacientes”.