Paraná Clube e Coritiba entram em campo amanhã, às 16h, no Pinheirão, para disputar uma partida histórica. Inicialmente, estariam em jogo apenas os três pontos na tabela de classificação do campeonato paranaense. No entanto, devido a uma questão extra campo, a partida valerá também uma vaga na Copa do Brasil. Com a garantia de Iraty e Atlético na competição nacional (campeão paranaense e supercampeão) restou apenas uma vaga na competição nacional. Em comum acordo, as diretorias decidiram brigar pela vaga no campo e, por falta de datas, o jogo do estadual ganhou o status de decidir qual equipe enfrenta o Ituano, no dia 19, em Itu, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Devido a esse diferencial, algumas regras especiais foram determinadas para o confronto, que terá o árbitro Héber Roberto Lopes no apito. Se o resultado no tempo regulamentar de jogo for empate, a partida terá prorrogação com dois tempos de quinze minutos, valendo o critério de “morte súbita”. Caso o resultado de igualdade persista, a decisão será nos pênaltis. Independente do que aconteça, o resultado que será válido para o campeonato paranaense será o do tempo regulamentar, bem como o registro de gols para a artilharia do estadual.

No entanto, em caso de expulsão na prorrogação, a suspensão valerá para a rodada seguinte do estadual. Se um atleta receber cartão amarelo no tempo regulamentar e vier a tomar novo cartão amarelo na prorrogação, também terá de cumprir suspensão. No caso de cartões amarelos na prorrogação, eles não serão computados para o estadual. Essa determinação, que partiu do departamento técnico da Federação Paranaense de Futebol (FPF), desagradou os dirigentes dos clubes. “Não tem explicação para isso”, disse o presidente do Paraná Clube, Ênio Ribeiro de Almeida. Para Domingos Moro, secretário do Coritiba, o assunto nem merece comentários. “Vamos tentar resolver nos 90 minutos para evitar essas regras especiais”, disse.

Rivalidade

Se em condições normais a rivalidade entre as duas equipes já é grande, por valer uma vaga na Copa do Brasil a disputa ganha ares de verdadeira batalha, de equipes em situações opostas. O Coritiba lidera o estadual, venceu as duas primeiras partidas, chegando ao saldo de oito gols e já é apontado como o grande favorito ao título estadual de 2003. Já o Paraná perdeu na estréia para o novato Roma e não passou de um empate com o Francisco Beltrão, o que deixa o Tricolor em 14.º lugar na tabela de classificação.

No entanto, independente das dificuldades que enfrentou nos primeiros jogos, o presidente Ênio Ribeiro aposta que chegou a hora da virada. “Para nós o campeonato começa agora. Os dois, pois temos certeza de disputar a Copa do Brasil”, diz otimista.

O Coritiba, apesar de apontado como favorito, prefere usar o mote humildade no que diz respeito ao clássico. “Nós todos sabemos da importância da partida, especialmente no que diz respeito à classificação à Copa do Brasil. Mas não existe favorito em clássico. Tudo pode acontecer e temos consciência que teremos que lutar muito para chegar ao nosso objetivo”, afirmou o presidente do Coritiba, Giovani Gionédis.

No que diz respeito à torcida, o Paraná vai levar vantagem em relação ao adversário. Como o mando de jogo é do Tricolor, os paranistas têm direito a 15 mil ingressos e os coxas a apenas 5 mil. Essa divisão será válida para todos os clássicos entre as equipes ao longo do ano, independente do local de disputa. Para o torcedor paranista, os ingressos estão sendo vendidos desde ontem, em todas as sedes do clube e na lojas do Paraná no Big. Já os ingressos do Cori serão colocados à venda a partir de hoje, as 9h, nas bilheterias do clube, na rua Amâncio Moro. Amanhã, no Pinheirão, o acesso para a torcida alviverde será pela bilheteria dos fundos do estádio, pela rua Suécia.

Héber é o mediador do “combate”

Para o jogo “de gala” de amanhã, a Federação Paranaense de Futebol confirmou o nome de Héber Roberto Lopes para o apito. Esta será a primeira participação do árbitro neste estadual e provavelmente a última antes de ele receber o escudo de árbitro da Fifa, o que pode acontecer já na semana que vem.

Ontem à noite, em Londrina, o árbitro participou da cerimônia de formatura do curso de Educação Física da Universidade do Norte do Paraná e amanhã ele chega a Curitiba para o clássico.

Depois da partida, Héber Roberto Lopes vai esperar a escala da Copa Libertadores da América e da Copa do Brasil. O quadro de arbitragem deve sair na segunda-feira.

Para o clássico, a federação definiu como auxiliares Roberto Braatz e Gílson Bento Coutinho, com os quais Héber geralmente trabalha em partidas envolvendo equipes paranaenses.