Depois de um longo período sem dar entrevistas ou aparecer na mídia, Rubens Barrichello quebrou o silêncio. Em rápida entrevista ao jornal norte-americano Monterey Herald, o brasileiro disse que ainda sonha com a continuidade de sua carreira na Fórmula 1 neste ano.

“A Honda está à espera de um comprador. Ter de esperar notícias da equipe é difícil”, afirmou o piloto após uma torneio de golfe de que participou na Califórnia.

A situação de Barrichello é complicada. Depois de terminar a temporada com seu emprego na Honda ameaçado, ele sofreu um golpe ainda mais duro em suas pretensões quando a montadora anunciou o fim da escuderia na Fórmula 1. A única esperança para correr em 2009 é aguardar que uma organização compre o espólio da equipe e lhe dê uma chance.

Mas a chance, ainda assim, é pequena. Jenson Button, que tinha contrato com a montadora japonesa, é nome certo na eventual nova escuderia. Bruno Senna, embora ainda não esteja confirmado, deve ser o outro piloto. Um anúncio oficial deve acontecer nos próximos dias.

Vice-campeão da Fórmula 1 em 2002 e 2004, Barrichello é o recordista de GPs na história da categoria, com 267. Ele venceu nove provas, largou 13 vezes na pole-position e defendeu, além da Honda, as equipes Jordan, Stewart e Ferrari.