Os veleiros da Volvo Ocean Race voltaram para a água nesta terça-feira em Itajaí, no litoral de Santa Catarina. As cinco equipes que finalizaram a sétima etapa da regata de volta ao mundo tiveram a última semana para fazer um check-up de olho na largada no domingo rumo a Newport, nos Estados Unidos.

A brasileira Martine Grael voltou de Niterói, onde tirou uns dias de descanso com a família. Campeã olímpica nos Jogos do Rio-2016, ela integra a equipe holandesa do AkzoNobel, que ocupa a quarta colocação na classificação geral. O time terminou em terceiro lugar a etapa de Itajaí.

As exceções ficaram para as duas equipes que abandonaram a última perna da competição. O Vestas 11th Hour Racing, embarcação dinamarquesa/norte-americana, ficou sob revisão no estaleiro. O barco perdeu o mastro na sétima etapa e agora os profissionais correm contra o tempo para deixar tudo pronto antes da largada.

“Como é um mastro com cabos que nunca foram ajustados, é preciso fazer passo a passo. Os cabos são como espaguetes finos de carbono e não podem estar retorcidos. Tem que prestar atenção se estão perfeitamente retos antes de aplicar tensão”, explicou o chefe de engenharia da Volvo Ocean Race, Álvaro de Haro.

A equipe chinesa SHK/Scallywag deve chegar na quinta-feira em Itajaí. O barco estava no Chile após o acidente com o britânico John Fisher, que caiu no mar e não foi localizado. Os velejadores do Scallywag já estão na cidade catarinense para a próxima etapa. Ainda não está definido se participam ou não da In-Port Race, a regata interna, marcada para sexta-feira, a partir de 14h.

“Obviamente vamos fazer toda a manutenção e verificação do barco. Esperamos que esteja bem como aparentemente está para no domingo estarmos prontos para a largada”, disse o português António Fontes, integrante do Scallywag.