No primeiro duelo entre Neymar e seu ídolo Robinho, nenhum dos dois ex-santistas comemorou nesta terça-feira. Robinho até deixou sua marca, ao anotar o gol do Milan no empate por 1 a 1 com o Barcelona, mas não pôde ficar satisfeito com a igualdade em casa, no San Siro, no equilibrado Grupo H da Liga dos Campeões. Os dois brasileiros ainda tiveram em campo a companhia de Kaká, aplaudido pela torcida da casa.

O empate manteve o Barcelona na liderança da chave, agora com sete pontos. O Milan segue no segundo posto, com cinco. O Celtic ascendeu ao terceiro lugar, com três, ao vencer o Ajax por 2 a 1, também nesta terça, em Glasgow – James Forrest e Biram Kayal marcaram os gols dos escoceses, enquanto Lasse Schone descontou para os visitantes.

Jogando em casa, o Milan não se intimidou com o Barcelona de Tata Martino. Nem mesmo o retorno de Lionel Messi ao time titular mudou a postura dos italianos. A equipe da casa partiu para o ataque no início e ensaiou pressão.

Aos 6 minutos, mandou para as redes, com finalização de Muntari e assistência de Robinho, mas o árbitro anulou o lance por impedimento. O gol viria dois minutos depois. O mesmo Robinho tabelou com Kaká pela esquerda e completou para as redes, após jogada iniciada em vacilo de Mascherano na zaga espanhola.

Sem se assustar com o gol dos anfitriões, o Barcelona foi para cima e impôs pressão. Deslocado para a direita, Messi centralizava todas as ações, principalmente com Daniel Alves, apesar da visível falta de ritmo. E foi dos pés do argentino que surgiu o gol de empate. Aos 23, ele recebeu dentro da área, driblou dois marcadores e bateu rasteiro no canto

Isolado na esquerda, Neymar teve atuação mais discreta na partida. Chegou a criar duas boas chances de gol, uma em cada etapa. Mas não conseguiu deixar sua marca, assim como fez o ídolo Robinho, com quem formou dupla vitoriosa no Santos em 2010.

Os dois atacantes acabaram sendo substituídos no segundo tempo. Robinho foi substituído por Balotelli, que chegou a ser dúvida para a partida. E Neymar deu lugar a Pedro. Aplaudido pela torcida, Kaká também deixou o gramado mais cedo, para entrada de Emanuelson.

As mudanças, contudo, não alteraram o panorama da partida. O Barcelona seguia no ataque, com maior posse de bola, enquanto o Milan tentava ameaçar em contra-ataque. A melhor chance do segundo tempo foi desperdiçada por Adriano aos 24. Após receber passe dentro da pequena área, ele pegou mal na bola e bateu para fora, assegurando a inércia do placar.