Dos três times ainda ameaçados pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro – Palmeiras, Vitória e Bahia -, o último é o que tem a pior situação. Além de precisar vencer o Coritiba neste domingo, às 17 horas, no estádio Couto Pereira, em Curitiba, tem de contar com uma derrota do Palmeiras, que recebe um desfalcado Atlético Paranaense em sua nova arena, e ainda torcer para que o rival Vitória não vença o Santos, no estádio Barradão, em Salvador.

Não bastasse o cenário desfavorável, o técnico Charles Fabian ainda tem uma série de problemas para escalar o time que tenta o “milagre” de evitar a queda para a Série B. Os laterais-direitos Diego Macedo e Railan, os meias Marcos Aurélio e Emanuel Biancucchi e os atacantes Kieza e Maxi Biancucchi, lesionados, desfalcam o time.

Além deles, o volante Fahel, suspenso por levar o terceiro cartão amarelo na vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio, no último domingo, e o meia Lincoln, por restrição contratual – é jogador do Coritiba -, não jogam.

Com tantas ausências, Charles diz ainda não ter definido a equipe que inicia a partida. De acordo com ele, as principais dúvidas são quem entra na vaga de Fahel – Rafael Miranda e Feijão disputam a titularidade – e quem fica como articulador do time. Se será o jovem Rômulo, recém-promovido das categorias de base do clube, ou o lateral-esquerdo Guilherme Santos, que poderia ser improvisado na posição. Neste caso, Pará assumiria a lateral.