A Austrália será a primeira das 32 seleções da Copa do Mundo de 2014 a desembarcar no Brasil para a disputa da competição. A revelação foi feita nesta quarta-feira por Frederico Nantes, gerente de Competições e Serviços às Equipes do Comitê Organizador Local (COL), durante Congresso Técnico da Fifa em Florianópolis, que conta com a presença de técnicos e representantes de todos os times do grande torneio.

De acordo com o dirigente, os australianos desembarcarão em solo nacional em 28 de maio, 15 dias antes do primeiro jogo da Copa, entre Brasil e Croácia, no Itaquerão, em 12 de junho. A seleção da Oceania, que está no Grupo B do Mundial, ao lado de Espanha, Holanda e Chile, irá estrear na competição no dia 13, contra os chilenos, em Cuiabá.

A Fifa salientou que, pelo regulamento da competição, todas as seleções são obrigadas a chegar ao Brasil até 5 dias antes de suas respectivas estreias. E, como o último jogo da primeira rodada da fase de grupos ocorrerá em 17 de junho, todas as equipes, portanto, terão de estar no País na data de abertura da Copa.

A logística das seleções no Brasil foi o principal tema abordado pela Fifa na manhã desta quarta-feira. “Fizemos uma apresentação sobre os aspectos para os times, falando de transporte, logística, chegadas internacionais, e apresentamos o conceito que temos. No final nós abrimos para perguntas, mas nenhuma foi feita”, disse Nantes, deixando a impressão de que os presentes não demonstraram dúvidas em relação a estas questões.

Ao abordar o assunto, ele também revelou certas peculiaridades que envolverão a estada das seleções no Brasil durante a Copa do Mundo. “Alguns times devem trazer a própria comida, isso é comum, e o Brasil faz isso quando viaja também. E teve uma seleção que sinalizou que quer trazer a própria cama e colchão para os jogadores”, disse, sem citar o nome do país que manifestou esse desejo.

Já ao ser questionado sobre a segurança das seleções da Copa, Nantes destacou que esse é um tema que não depende apenas dos organizadores do Mundial e dos esquemas montados pelas cidades envolvidas, mas também das próprias seleções. “A operação de segurança requer um detalhamento maior com cenários específicos, até porque cada país tem seu jeito de trabalhar a polícia”, disse.

O locais de treinos das seleções que virão ao Mundial também foram assunto nesta quarta, sendo que Florianópolis, palco deste Congresso Técnico da Fifa, é uma cidade que acabou não sendo escolhida como sede de nenhum dos CTS (Centro de Treinamentos das Seleções). E, para que a capital catarinense pudesse vir a ser escolhida de última hora por uma seleção, Nantes avisou que essa mudança precisaria ser aprovada pela Fifa, que confirmou no mês passado todos os locais onde os times ficarão hospedados e treinarão no Mundial.

“Estamos trabalhando com a lista que foi divulgada no dia 31 de janeiro. Até agora ninguém sinalizou que gostaria de mudar o seu CTS. Se isso ocorrer, um pedido terá de ser submetido à Fifa, e não ao COL”, avisou.