O sindicato dos jogadores de futebol da Austrália anunciou nesta quarta-feira que estão cancelados os dois amistosos que a seleção feminina australiana faria contra o time dos Estados Unidos, campeão mundial, em território norte-americano, durante o mês de setembro. As atletas estão em greve e se recusaram a jogar.

Na terça, as jogadoras se recusaram a participar do treino da seleção australiana, em Sydney. O sindicato, que envolve homens e mulheres, exige reajustes sobre o acordo coletivo que se encerrou em julho. Elas cobram diárias para servir à seleção australiana e melhores condições de hospedagem, entre outros itens.

Na equipe masculina, os jogadores australianos se recusaram a participar de eventos de patrocinadores antes de uma partida das Eliminatórias da Copa do Mundo, na semana passada. O caso delas é mais grave porque uma jogadora de futebol na Austrália ganha cerca de 21 mil dólares australianos por ano (menos de US$ 15 mil).

De acordo com o site Newscorp Australia, entretanto, seis jogadoras, incluindo a capitã Lisa De Vanna, romperam com o sindicato e querem jogar nos Estados Unidos. “Eu só quero jogar pelo meu país. Isso é tudo que eu quero”, explicou ela ao portal. Mais de 60 mil ingressos já foram vendidos para os amistosos em Detroit, em 17 de setembro, e Birmingham, três dias depois.