Recentemente, a Ambev, através de uma marca de cerveja, colocou no mercado latinhas personalizadas vinculadas a 17 clubes (Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco, Atlético-MG, Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Bahia, Vitória, Náutico, Santa Cruz e Sport), deixando de fora o Trio de Ferro de Curitiba, o que gerou, via redes sociais, uma tentativa de boicote à marca na capital paranaense por parte dos torcedores.

No entanto, a falta das latas de cerveja das equipes daqui se deve a um acordo que os três clubes tem com a maior concorrente da Ambev. Em 2010, Atlético e Coritiba assinaram um acordo com a Spaipa, que é a representante da Coca-Cola no Estado. Em 2011, foi a vez do Paraná Clube. No contrato, é proibido que os times tenham suas marcas relacionadas à Ambev. ‘No caso da Ambev, é uma exceção por conta da Coca-Cola. A Ambev queira fazer, mas os clubes já têm um contrato com a Coca-Cola, que proíbe esse tipo de coisa’, explicou Fernando Ferreira.

A alternativa para que o trio não fosse ‘prejudicado’ seria criar uma ação semelhante, ou buscar uma outra solução, focando em produtos que levem a marca dos clubes e que possa atrair tanto os atuais, como novos possíveis torcedores, ‘O torcedor é um cliente que você vai ter para o resto da vida e ele não vai comprar nunca do seu concorrente. Cada vez que você perde uma criança como torcedor, você tem um prejuízo enorme’, acrescentou o economista.