O Atlético colocará dois feitos à prova no clássico deste sábado com o Paraná pela Série B: as boas atuações como visitante frente aos seus concorrentes diretos e a boa campanha na Vila Capanema, estádio que foi sua casa por dez jogos no começo desta temporada e que se tornou um reduto rubro-negro no período.

Concorrentes diretos, Atlético e Paraná têm feito campanhas semelhantes, sempre muito próximos na classificação, porém, o Rubro-Negro chega com uma pequena vantagem neste confronto, depois de conseguir uma arrancada nos últimos jogos e vir da boa sequência de três vitórias consecutivas.

Para manter esta invencibilidade, basta o Furacão colocar em prática uma de suas façanhas até aqui, que são os bons resultados como visitante frente aos concorrentes diretos ao acesso. Nos confrontos com os clubes que estão à sua frente na tabela de classificação, e melhor cotados para voltar à Série A, foram sete jogos contra estes rivais. Em casa os números não são muito animadores, mas como visitante, o time tem aproveitamento de 66,6%. O Furacão venceu o Joinville e o Avaí e foi derrotado pelo América-MG, trio que ainda aparece à sua frente na classificação.

E os bons números não param por aí. Além de nunca ter perdido para o Tricolor na Vila depois da reinauguração do estádio em 2006 (seis jogos com quatro vitória se dois empates), o Atlético construiu um bom retrospecto na casa do rival este ano. O Durival Britto e Silva serviu de abrigo ao Rubro-Negro no começo da temporada e o time transformou o estádio em uma fortaleza. Entre compromissos pela Copa do Brasil e Campeonato Paranaense foram 10 jogos e um aproveitamento invejável de 93,3%. O Furacão venceu 9 vezes, empatou apenas uma e marcou 28 gols. Furar a defesa atleticana na Vila este ano foi outro sério problema para os adversários. O time tomou apenas quatro gols no período em que jogou por lá.

Os números são superiores até mesmo ao desempenho do Paraná em sua própria casa. Neste ano o Tricolor fez 19 jogos em seu estádio, atuando pelo Paranaense, Brasileirão e Copa do Brasil também e acumula um aproveitamento de 78,9%, número menor que o conseguido pelo Furacão, ainda que tenha feito menos partidas. O perigo maior do Furacão está na campanha do Paraná dentro de casa na Série B. O time está na marca de 74% de aproveitamento dos pontos.