Grande nome do Atlético na vitória por 2×0 sobre o Corinthians, na última quarta-feira (3), o atacante Walter deixou o campo na Arena da Baixada um pouco mais aliviado. Vivendo uma seca de gols em 2016, o jogador fez os dois gols contra o clube paulista e acabou com um longo jejum. Desde o ano passado não balançava as redes em casa. A última vez foi em novembro, na vitória sobre o Avaí.

“Sempre é bom marcar, fazia tempo que eu não fazia gol aqui na Arena. Eu sempre falei que nunca fui aquele atacante de fazer gol, mas sim de sair da área, dar o passe para os meus companheiros e de vez em quando fazer gols. Eu me mexo bastante, não fico só na área e eu fui o cara que mais treinou nos últimos dias para estar bem, descansado e esse é meu jogo, brigando, lutando. Se eu não fizer o gol, mas o time vencer, isso é o mais importante”, afirmou ele.

Mesmo não se considerando um goleador, Walter acredita que os três gols marcados nos dois últimos jogos (havia feito no empate em 1×1 com a Chapecoense, na Copa do Brasil, e estava suspenso na derrota por 2×0 para o Sport) tiraram de vez a zica no ano. Coincidentemente, a sorte mudou quando o jogador deixou a camisa 18 para dar lugar à 19.

“Saiu a zica. Mas camisa não muda nada. Eu sabia das minhas qualidades e que a qualquer momento podia fazer o gol. E se você pegar os meus gols, foram na final contra o Coxa, na Copa do Brasil e agora contra o Corinthians”, acrescentou o atacante.

Mesmo não fazendo tantos gols, Walter continuou agradando o técnico Paulo Autuori, que não poupou elogios ao atleta e ressaltou a importância dele para o time.

“O Walter tecnicamente é o melhor que existe no futebol brasileiro e é um goleador. Fases como essas todos nós atravessamos na vida pessoal e profissional. O importante é ter convicção naquilo que você faz. Ele estava trabalhando muito para a equipe, como há muito tempo não se via. Então eu falava para ele ficar tranquilo, que os gols iam voltar. O mais importante para mim é como ele estava se entregando. O André Lima também está bem, fazendo gols e são poucas equipes que podem se dar ao luxo de ter dois goleadores no elenco”, disse o treinador.