Antes do jogo de ontem, contra o Remo, o Atlético finalmente oficializou a contratação do atacante Walter. O jogador, momento antes do início da partida, entrou no gramado com a camisa rubro-negra e acompanhou o duelo no camarote da diretoria.

Ovacionado, o centroavante viu a torcida gritar uma paródia: ‘era era, o Walter é da caveira’. Com contrato de empréstimo de um ano, tendo prioridade de renovação por mais dois, o atacante de 25 anos preocupou os torcedores quando viajou ao Rio de Janeiro na terça-feira. Entretanto, na manhã de ontem, o atleta retornou ao CT do Caju.

“Muita gente falou muita coisa, mas já estava acertado com o Atlético há muito tempo. Tanto que joguei a última contra o Madureira. Fui resolver uns problemas em casa e o clube me liberou”, despistou sobre uma pendência no contrato, que não era o mesmo que acordado anteriormente.

O documento que faltava do Porto, de Portugual, também está sendo encaminhado e o nome do atacante sai no Boletim Informativo Diário (BID) hoje, no último dia da janela de transferência internacional. Vale lembrar que a negociação é direto do clube português para o Furacão.

Protesto

A torcida não perdoou o fraco desempenho da equipe, mais uma vez, mesmo com a classificação. Os protestos dos torcedores passaram pelo time, o técnico Enderson Moreira e até o presidente Mário Celso Petraglia – que sequer estava no estádio. Com vaias e gritos de ‘vergonha’, a nação atleticana cobrou, novamente, os reforços prometidos até o final do mês.

Na segunda fase da Copa do Brasil, o Atlético enfrenta o Tupi (MG). As datas ainda serão definidas pela CBF. “Claro que a gente queria ganhar e classificar direto, mas não deu. Mas tivemos raça, concentração e peço desculpas para o torcedor pelo jeito que foi”, declarou Gustavo após o jogo.

Condenado! Veja mais do Atlético na coluna do Mafuz!