Medalha de ouro nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro, a seleção brasileira masculina de vôlei fará no dia 3 de setembro, um sábado, um jogo festivo na Arena da Baixada. O amistoso contra Portugal, às 16h, além de ser comemorativo pela conquista, também pode marcar a despedida do líbero Serginho, paranaense de Diamante do Norte, que, aos 40 anos, deve se aposentar da seleção.

Segundo Neuri Barbieri, vice-presidente da Confederação Brasileira de Vôlei e presidente da Federação Paranaense, a partida tem como finalidade reunir caixa para pagar a premiação pela conquista olímpica aos atletas.

Caso isto aconteça, será a retomada de uma história iniciada em 1983, quando o narrador Luciano do Valle organizou uma partida entre a seleção brasileira e a antiga União Soviética em um Maracanã om 95 mil pagantes. Na ocasião, o duelo, considerado um dos mais importantes da história pela Federação Internacional de Volleyball e também um marco para o vôlei brasileiro, foi disputado debaixo de muita chuva, que inclusive interrompeu o primeiro set. Desta vez, a escolha pelo Joaquim Américo passa pelo fato de o estádio ser coberto.

O elenco para os dois amistosos será exatamente o mesmo que representou o País na conquista olímpica com os levantadores Bruninho e William, os opostos Wallace e Evandro, os ponteiros Lucarelli, Lipe, Maurício Borges e Douglas, os centrais Lucão, Maurício Souza e Eder, além de Serginho.

No dia seguinte ao jogo na Baixada, a seleção campeã olímpica enfrentará Portugal no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Por muito pouco os amistosos da seleção feminina de vôlei, em São José dos Pinhais, antes da Olimpíada, não ocorreram na casa do Atlético, mas a avaliação à época é que não havia apelo para um jogo sem importância para um palco grandioso.

Receba notícias no seu Facebook!