O Atlético quer aproveitar o Atletiba dentro da Arena, o primeiro da temporada, para homenagear um dos maiores atletas da história do esporte paranaense. Torcedor rubro-negro declarado, o campeão olímpico Emanuel deve ser o grande personagem do clássico do dia 20 de março.

“Sempre tive muito respeito com o clube e eles me convidaram para participar do Atletiba. Vou estar em Curitiba nessa data, porque vou a um evento de um patrocinador. Então, possivelmente, vou participar do Atletiba na Arena da Baixada com a grama sintética nova”, comentou Emanuel.

O presidente do Furacão, Luiz Sallim Emed, confirmou o convite. O dirigente lembra que o Atletiba será disputado quatro dias antes do aniversário de 92 anos do clube, o que enaltece ainda mais a homenagem ao campeão olímpico. “O Emanuel é um orgulho para o Paraná e ainda mais para o Atlético, por ser nosso torcedor”, enfatiza Emed. “Com o Emanuel nós temos uma inversão: ele tem milhões de pessoas que torcem por ele e ele torce para o Atlético. Por isso qualquer homenagem é até pouco por tudo o que ele representa”, ressalta o presidente.

Detentor de três medalhas olímpicas – ouro em Atenas-2004, bronze em Pequim-2008 e prata em Londres-2012 -, Emanuel faz a despedida oficial das areias na disputa do Grand Slam do Circuito Mundial de vôlei de Praia, que começa nesta terça (8) e vai até domingo (13) em Copacabana, no Rio de Janeiro. O paranaense é o maior vencedor da disputa, com dez títulos do Circuito Mundial.

Despedida?

Sobre a possibilidade de o campeão olímpico do vôlei de praia fazer um jogo de despedida na Arena da Baixada, o mandatário rubro-negro não só aprova a ideia como diz que a casa rubro-negra tem total condição de fazer tal homenagem agora com a grama sintética, já que a realização de eventos não estraga o piso de jogo. “Essa ideia é interessante. Eu, como presidente, já compro essa ideia. Só teríamos que ver a questão de agenda de ambas as partes”, comenta Emed.

Emanuel, por sua vez, diz que se despedir da carreira vitoriosa jogando no estádio do clube do coração seria uma grande emoção. “Não tinha pensado nisso, mas seria interessante”, afirma o ex-jogador.