Em uma noite inesquecível para o torcedor, o Atlético deixou para trás o mau momento, a falta de gols e arrancou a classificação para as oitavas de final da Libertadores ao bater de virada a Universidad Católica por 3×2, nesta quarta-feira (17), no San Carlos de Apoquindo. E a vaga veio graças aos jogadores que entraram no segundo tempo. Carlos Alberto, Eduardo da Silva e Douglas Coutinho marcaram os gols do triunfo do Furacão, que terminou na segunda colocação no grupo 4, uma vez que o San Lorenzo, também de virada, venceu o Flamengo na Argentina.

Confira como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

Como era esperado, a Universidad Católica tomou as rédeas do jogo. Precisando da vitória para continuar sonhando com a classificação, os chilenos foram para cima e abusavam das bolas aéreas. Com espaço nas laterais, os donos da casa chegavam com frequência na linha de fundo para cruzar, mas, dentro da área o Furacão se mantinha firme e ganhava a maioria das jogadas. Quando perdia, contava com a ajuda nas finalizações erradas.

Pablo voltou bem ao time do Atlético e criou boas chances. Foto: Jonathan Campos
Pablo voltou bem ao time do Atlético e criou boas chances. Foto: Jonathan Campos

Já lá na frente os velhos problemas se repetiam. A bola pouco chegava a Grafite e as jogadas eram muito truncadas pelo meio-campo. Rossetto e Pablo eram os mais ativos, mas também precisavam voltar para ajudar na marcação, deixando o setor ofensivo com poucas opções. Ainda assim, o Rubro-Negro é quem criava as melhores chances.

Aos 13, Sidcley pegou de direita e bateu em cima da defesa. Aos 33, Sidcley fez grande jogada pela esquerda, escapou da marcação e cruzou rasteiro para Nikão, que pegou de primeira da entrada da área, mas Toselli fez a defesa. Na sobra, Lucho González escorregou na finalização.

Só que quando acertou o pé, a Católica abriu o placar. Aos 35, os donos da casa fizeram boa troca de passes até a bola chegar para Santiago Silva, que, da entrada da área, pegou de primeira e acertou o canto de Weverton.

No segundo tempo o panorama não mudou muito. O Atlético era quem levava mais perigo, mas a Universidad Católica tocava melhor a bola e quase chegou ao segundo gol aos oito minutos, quando Buonanotte arriscou e acertou o travessão após ela desviar na defesa. Aos 25, Noir chutou forte, mas Weverton fez firme defesa.

À medida que o tempo ia passando, a ansiedade virava mais um adversário do Furacão. Lá na frente, o time melhorou e pressionava a saída de bola do adversário. Mas quando a Católica passava para o campo ofensivo, os espaços que o Rubro-Negro deixava assustava.

O técnico Paulo Autuori foi tentando mexer no time. Carlos Alberto, Eduardo da Silva e Douglas Coutinho entraram para dar mais fôlego. E as mudanças surtiram efeito. Primeiro, aos 31, Sidcley cobrou lateral, Carlos Alberto dominou, driblou o marcador e cruzou na medida para Eduardo da Silva, livre de marcação, cabecear e deixar tudo igual.

Douglas Coutinho entrou no segundo tempo e deixou sua marca. Foto: Jonathan Campos
Douglas Coutinho entrou no segundo tempo e deixou sua marca. Foto: Jonathan Campos

Resultado que classificava o Atlético. Só que dois minutos depois, na Argentina, o San Lorenzo empatou com o Flamengo e mudava todo o grupo. No Chile, ninguém passava para os jogadores em campo o placar do outro jogo. Mas parecia que os dois times sabiam que precisavam ganhar. E aí, a partida pegou fogo e virou um toma lá da cá.

E em um rápido contra-ataque, o Furacão conseguiu a virada. Aos 36, após desarmar a Católica, Douglas Coutinho, outro que entrou no segundo tempo, recebeu ainda no campo de defesa e arrancou até a área, quando bateu na saída do goleiro e marcou o segundo.

Aí, então, era segurar o resultado. Mas não deu nem tempo de se fechar. Logo depois, aos 39, Noir acertou um belo chute e deixou mais uma vez tudo igual.

Porém, foi a vez de mais um reserva deixar a sua marca. Aproveitando o desespero dos chilenos, que partiram com tudo para o ataque, o Rubro-Negro arrancou com liberdade e em tabela com Jonathan, Carlos Alberto recebeu dentro da área e acertou um chutaço, garantindo a classificação atleticana.

FICHA TÉCNICA

LIBERTADORES
Grupo 4 – 6ª rodada

UNIVERSIDAD CATÓLICA 2X3 ATLÉTICO

Universidad Católica
Toselli; Magnasso, Kuscevic, Marípan e Parot; Manzano (Gutierrez, 33 do 2º), Espinosa, Buonanotte, Fuenzalida (Cordero, 29 do 2º) e Noir; Santiago Silva.
Técnico: Mario Salas

Atlético
Weverton; Jonathan, Paulo André, Wanderson e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto, Lucho González (Carlos Alberto, 17 do 2º), Nikão e Pablo (Douglas Coutinho, 29 do 2º); Grafite (Eduardo da Silva, 21 do 2º).
Técnico: Paulo Autuori

Local: Estádio San Carlos de Apoquindo (Santiago-CHI)
Árbitro: Jonhatan Fuentes (URU)
Assistentes: Miguel Nievas (URU) e Gabriel Popovits (URU)
Gols: Santiago Silva, 35 do 1º; Eduardo da Silva, 31, Douglas Coutinho, 36, e Noir, 39, Carlos Alberto 41 do 2º
Cartões amarelos: Santiago Silva, Espinosa e Buonanotte (UCA); Nikão (CAP)
Cartão vermelho: Wanderson, 48 do 2º

Atlético fez a festa no Chile. Foto: Jonathan Campos
Atlético fez a festa no Chile. Foto: Jonathan Campos