Pressão não incomoda Paulo Autuori. Ele já encarou muitas broncas. Já conquistou títulos suficientes para ser considerado um “medalhão” do futebol brasileiro – campeão brasileiro pelo Botafogo, campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes pelo São Paulo. Quer dizer, tem currículo. E chega para colocar ordem na casa no Atlético.

É uma mudança significativa. Afinal, os últimos treinadores do Furacão foram os “emergentes” Claudinei Oliveira, Enderson Moreira, Milton Mendes e Cristóvão Borges. A especulação mais forte apontava para a vinda de Sérgio Vieira após o Campeonato Paulista. Mas veio Autuori. E agora?

Dos ditos medalhões (os técnicos mais badalados, como Muricy Ramalho, Cuca, Levir Culpi, Marcelo Oliveira, Abel Braga…), Paulo Autuori tem o perfil mais semelhante com o esperado pelo Atlético – é estudioso, gosta de adotar as técnicas mais avançadas no seu trabalho. Vai se adaptar bem à organização rubro-negra, gerenciada pelo DIF.

Mas também terá que ter um papel fundamental no lado psicológico – para recuperar Marcos Guilherme, por exemplo. Terá que organizar o sistema ofensivo, que anda penando para marcar. Precisa manter Otávio em ótima fase. Precisa proteger a zaga e evitar que Paulo André e Vilches fiquem expostos. Muita coisa, né? Cancha para esses desafios, Paulo Autuori tem.

Conceitos profundos! Veja a opinião de Mafuz sobre a contratação de Autuori!