O sonho da Areninha, um ginásio multiuso para 10 mil pessoas, prometido pela atual diretoria do Atlético, principalmente por Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do clube, pode nunca sair do papel. Isto porque o espaço pode ser utilizado para uma questão comercial do Furacão.

Sem investidores para levantar sua Areninha, o Rubro-Negro mudou o foco e agora negocia a exploração do local pelo varejo, segundo apurou a reportagem da Gazeta do Povo. Uma cadeia de supermercados paranaense, aliás, é o principal candidato a ser inquilino do Furacão.

A rede Condor, que atende 15 cidades do Estado, avalia a abertura de uma unidade na espaço localizado na esquina das ruas Buenos Aires com Brasílio Itiberê, no bairro Água Verde. O acordo ainda não está fechado e é tratado com sigilo dentro da empresa, que decidiu não se pronunciar oficialmente após o contato da reportagem.

A Gazeta apurou também que o supermercado Festval e a loja de departamentos Havan, patrocinadora do clube, cogitaram fazer negócio, mas acabaram desistindo no meio do caminho. As tratativas são conduzidas pelo diretor comercial do Furacão, Mauro Holzmann.

“Sem novidades”, respondeu o dirigente quando perguntado sobre o tema, via WhatsApp.

Caso Atlético e Condor realmente fechem o acordo, o projeto ainda precisaria ser aprovado pela prefeitura municipal para ter a obra liberada.

Não saiu do papel

Idealizada por Petraglia, a Areninha é comentada desde 2005, mas ganhou força quando o estádio foi reformado para a Copa do Mundo de 2014. Mesmo assim, não vingou.

A conclusão do ginásio, inclusive, chegou a integrar o rol de promessas eleitorais do atual grupo nos dois últimos pleitos (2011 e 2015) e também seria uma espécie de ‘legado’ do Atlético para Curitiba.

“… Para nós seria muito cômodo pegar aqui do lado e fazer prédios para alugar, salas comerciais. Não, nós vamos buscar fazer uma arena multiuso, que vai trazer um retorno institucional para a cidade…”, afirmou Petraglia em 2015.

Confira a classificação do Brasileirão

Só que a área seguiu inutilizada após o Mundial e apenas ganhou utilidade quando a Arena recebeu o UFC, em maio de 2016. A estrutura temporária montada para receber os treinos abertos do evento de MMA acabou evoluindo para a Quadra Gastrô, espaço gastronômico inaugurado em agosto do mesmo ano. O projeto, feito com parceiros, foi desativado recentemente.

Além de explorar a área da Areninha, o Rubro-Negro tem pressa para capitalizar as lojas do Boulevard do estádio e criar movimento e, principalmente, renda fora dos dias de jogos. Até agora, o aproveitamento é quase zero: apenas a loja oficial do clube funciona no local.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!