Washington marcou dois
gols contra o Cruzeiro.

O torcedor do Atlético está nas nuvens. E não poderia ser para menos. Motivos para a festa não faltam. O time rubro-negro não pára de crescer no Campeonato Brasileiro e ontem alcançou a 4.ª posição na tabela. Melhor do que isso, atropelou o Cruzeiro por 3 a 1, a Arena voltou a pulsar ao som da charanga da Fanáticos e os artilheiros Dagoberto e Washington mostraram que estão com tudo. Antes, foi o Santos. Além disso, o time não sabe o que é perder desde que o técnico Levir Culpi assumiu a equipe.

E foi justamente o treinador quem mais surpreendeu no início da partida. Após insinuar várias formações durante a semana, o comandante do Furacão sacou Ilan, colocou Washington, Rogério Correia e Alan Bahia e armou a equipe para atuar no 3-5-2 contra uma Raposa postada no 3-4-3. O time demorou a engrenar, é verdade, e até poderia ter se complicado se o árbitro tivesse apitado um pênalti de Marinho em cima de Martinez logo aos dois minutos.

Sorte atleticana, azar dos mineiros, que nem reclamaram muito. Ameaçaram de início um bom chute de Martinez, mas ficou nisso aí. Os três atacantes colocados em campo por Leão pouco produziram. O time de Levir não quis nem saber e começou a mandar no jogo. Sem muitas jogadas durante a maior parte do tempo. A torcida chegou a pedir raça, mas nem precisava. O time estava aceso e bastou Dagoberto pegar uma bola ao seu feitio para abrir o placar. Explosão na Arena, que voltava a ferver como um caldeirão.

No segundo tempo, Leão tentou com Lima, no lugar do apagado Tapia. Mas quem estava mais ligado era o Atlético. Numa grande jogada de Raulen, a bola sobrou para Washington, também ao seu feitio. Com espaço e dentro da área, não tinha chance para o adversário. Caixa. Pouco tempo depois, novamente o coração valente entrou na área, após bela tabela com Jádson, e chutou para ampliar.

Um sonho. Era o campeão brasileiro na Arena tomando um baile do Furacão. Um time consistente, tocando a bola, fazendo boas jogadas de ataque e deixando os torcedores sorridentes nas arquibancadas. Nem o gol de Lima, numa falha de Marinho, tirou a certeza da vitória e de um futuro brilhante na seqüência do Brasileirão.

Agora, a liderança. É Washington falando

Quem segura o artilheiro Washington? Nem time grande, nem time pequeno, nem o atual campeão brasileiro conseguiu parar o coração valente. Com os dois gols de ontem, ele chegou na impressionante marca de 13 gols em 13 jogos vestindo a camisa rubro-negra e já projeta a ponta da competição. Era apenas sua volta aos gramados após uma contusão na coxa esquerda, mas com o herói em campo a torcida sempre pode esperar grandes emoções.

“O técnico Levir Culpi está passando muita confiança e isso ajuda muito. O Atlético, se não deixar cair, vai fazer muitas vitórias ainda e vai buscar a liderança”, projeta o atacante. Para ele, é necessário manter os pés no chão e não deixar subir o sucesso para a cabeça. “Temos que ter humildade, continuar trabalhando e não achar que está tudo ganho. Temos quinze dias para trabalhar. Quando se trabalha e se é humilde, eu tenho certeza que nós vamos chegar lá em cima”, aponta.

Para ele, com a chegada do novo treinador, o time voltou a mostrar um bom futebol e está provando que também é candidato ao título. “O professor Levir colocou o seu jeito na equipe, passou confiança e nos deu tranqüilidade. Então, nós pegamos alegria, pegamos confiança e, por isso, o Atlético está desenvolvendo um grande futebol”, analisa o artilheiro.

Vestiário

Na entrevista coletiva, o treinador atleticano saudou a boa atuação de seus jogadores e explicou por que preferiu Washington a Ilan. De acordo com Levir, o fator emocional pesou mais. “Foi apenas uma questão de momento. O Dagoberto fez dois gols no Corinthians após uma volta, o Washington fez o gol no Santos após voltar também. Ele é artilheiro, é um jogador que luta muito pelo gol e o torcedor gosta. O Ilan não tinha feito gol e é aquela coisa assim, momentânea”, diz.

Campeonato Brasileiro
8.ª Rodada
Local: Arena da Baixada
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Villi Tissot (RS)
Gol: Dagoberto aos 42 do 1.º tempo; Washington aos 7 e 16 e Lima aos 26 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Martinez, William, Tapia, Edu Dracena, Márcio, Fabiano
Renda: R$ 151.155,00
Público pagante: 12.222
Público total: 13.578

Atlético 3 x 1 Cruzeiro

Atlético
Diego; Marinho, Fabiano e Rogério Correia; Raulen, Alan Bahia, William, Jádson e Marcão; Dagoberto e Washington. Técnico: Levir Culpi

Cruzeiro
Artur; Marcelo Batatais, Edu Dracena e Bruno Quadros; Maicon, Jardel, Martinez e Lenadro; Jussiê, Tapia e Dudu. Técnico: Émerson Leão