No Campeonato Brasileiro, o Atlético vai a campo com o time-base de 2012, mas com um elenco renovado. Explica-se. Ao ir às compras, o Furacão não trouxe nomes capazes de desbancar os titulares que ficaram em 3.º lugar na Série B do ano passado, mas apenas peças de reposição para o técnico Ricardo Drubscky.

Na equipe que deve estar em campo contra o Fluminense, dia 26, no Rio de Janeiro, o torcedor atleticano deverá ver apenas três caras novas. Na lateral-direita, Jonas e Léo, contratados pelo Atlético no início da temporada, brigam pela posição; no setor de criação, o meio-campo Everton já ganhou a confiança do treinador rubro-negro e deve atuar ao lado de Felipe, remanescente da temporada passada. Já o ataque também deve apresentar pelo menos uma novidade. O atacante Éderson, que voltou de empréstimo depois de defender o ABC-RN e deve formar a dupla ofensiva ao lado de Marcelo.

Porém, mesmo com 11 caras novas e um elenco com 32 jogadores, algumas posições ainda carecem de reforços. Na lateral-esquerda, Drubscky tem as opções somente dos apoiadores Pedro Botelho e Vinicius, enquanto no setor de contenção o treinador conta apenas com os volantes Deivid, João Paulo e Derley.

A contratação de jogadores não tão experientes e a promoção dos sete jogadores do time sub-23 que disputou o Campeonato Paranaense deste ano fizeram a idade do elenco principal cair. Mesmo com os medalhões Luiz Alberto e Paulo Baier, com 35 e 38 anos, respectivamente, a média de idade do grupo atual é de 23,9 anos.