O Atlético entra em campo hoje para disputar a sua principal partida neste campeonato brasileiro. Saem os gramados e entra o tapetão do STJD. Sem Washington e Ilan, mas com Marcos Malucelli, Gil Justen Santana e Daniel Cravo, todos advogados, que farão o papel dos craques rubro-negros para garantir seis pontos ao clube na tabela da competição.

Tudo por causa de uma trapalhada da CBF e da denúncia feita pelo “co-irmão” Coritiba contra a presença do goleiro Diego no clássico da quarta rodada da competição.

Na defesa do caso Ataliba, o Alviverde dedurou o goleiro Diego de não estar no BID especial publicado antes da competição. Os dirigentes atleticanos garantem estar munidos de todos os documentos, que deixariam o arqueiro em plenas condições de disputar o nacional. Mesmo assim, o caso vai para julgamento na 3.ª câmara disciplinar do STJD, a partir das 18 horas. O Rubro-Negro pode perder seis pontos (atualmente tem 5 e ficaria com -1), além de tomar uma multa entre 5 mil e 50 mil reais. Também estarão presentes no Rio de Janeiro o presidente do conselho deliberativo, Mário Celso Petraglia, e o funcionário Márcio da Silva, do departamento de registros, será testemunha da defesa.

Tudo isso pode acontecer por causa da burocracia, mas é nela mesmo que os dirigentes atleticanos mais se apegam para fazer a defesa e manter a tranqüilidade de que serão inocentados. “Nós temos registrados documentos oficiais em nosso poder vindos da CBF e não há o risco de que nossas armas sejam desconsideradas porque elas partem justamente de quem detém a prerrogativa de expedir certificados de regularidade dos atletas”, explica João Augusto Fleury da Rocha, presidente do clube.

Para ele, os equívocos, se ocorreram, não partiram do Rubro-Negro. “Se houve algum tipo de irregularidade não foi por iniciativa do Atlético e nem por negligência. Conseqüentemente, se alguém deve ser punido é quem deixou de anotar aquilo que deveria ser feito”, aponta. Ainda na defesa, o clube não vai buscar em nenhum outro caso subsídios para tentar se livrar da punição. “Não há nenhuma comparação. As comparações que estão sendo estabelecidas não são aquelas que se coadunam com o caso concreto. São situações díspares e não têm semelhança”, destaca, citando o caso Ataliba.

Política

Além de manter a tranqüilidade, o dirigente atleticano não vê nenhum tipo de armação para prejudicar seu clube para beneficiar outros como os cariocas. “Eu confio na idoneidade, na seriedade e na lisura dos integrantes do tribunal. Além disso, o campeonato está apenas se iniciando e nem vejo pressão de segmentos do meio esportivo do Rio de Janeiro”, finaliza.

Pingo é o primeiro reforço para o brasileiro

O Atlético apresenta hoje o volante e lateral-direito Pingo, vindo do Corinthians, como o primeiro reforço para o Campeonato Brasileiro. O jogador chega hoje em Curitiba, faz os exames médicos de praxe, assina contrato e já deve ficar à disposição do técnico Levir Culpi para os treinamentos e para os jogos a partir da próxima semana. Além dele, os dirigentes rubro-negros tentam a contratação do meia Morais, que entrou em litígio com o Vasco da Gama.

Fluminense de Barra do Piraí, o ex-corintiano Erisson Carlos dos Santos Silva completa 24 anos no próximo dia 22 e vem respaldado por boas informações de São Paulo e até do técnico Geninho, que trabalhou com ele no Parque São Jorge. Considerado um jogador técnico e habilidoso, Pingo não teve muitas chances nesta temporada e foi colocado à disposição. Além de atuar como volante, ele também já foi testado como lateral-direito e fez boas apresentações no Timão. Ele tem 1,75 metro e 70 quilos. Antes do Corinthians, ele passou pelo Ceará.

Depois de acertar com Pingo, o clube tenta a contratação do meia Morais. Jogador habilidoso e cobiçado por outras equipes, ele entrou na justiça e conseguiu sua liberação do clube carioca. O Vasco entrou com recurso, cassou a liminar e o imbróglio começou. O jogador está em Maceió, não recebe, nem comparece ao clube para trabalhar. O Cruzeiro já tentou levar o jogador, mas não conseguiu. Agora, no entanto, o Rubro-Negro está perto de fazer negócio.

Pelas conversas iniciais, os dirigentes atleticanos estão propondo a contratação do meia numa parceria entre todas as partes. O Furacão ficaria com 50% dos direitos federativos, o Vasco com a mesma proporação e o jogador retiraria a ação na justiça, receberia os atrasados e voltaria a jogar na Baixada.