Se mantiver o mesmo time que treinou na quinta-feira, o Atlético entra em campo hoje, às 17h, contra o Palmeiras, no Allianz Parque, com apenas três jogadores considerados titulares. Mais que isso. Serão oito atletas que iniciam a partida e jogam pela oportunidade de encantar o técnico Claudinei Oliveira e influenciar na sua decisão de montagem dos dois grupos que iniciaram a temporada 2015: o sub-23, que joga o Campeonato Paranaense, e o time principal, que disputará Copa do Brasil, Brasileiro e Sul-Americana. Claro, se possível o objetivo é “largar” o Estadual e ficar com a turma da mega pré-temporada.

Dois jogadores da base tem uma missão especial. O primeiro é Otávio, um dos principais destaques do time no Paranaense deste ano, que já teve sua escalação confirmada por Claudinei. “A ideia é tentar dar uma oportunidade para ele. Um dos jogadores que quero dar uma olhada. Sei que teve um bom rendimento no Paranaense e vinha bem no Brasileiro. Depois da minha chegada, optei por outros jogadores e ele ficou um pouco de lado. Essa é a escolha lógica”, disse, sem descartar nova oportunidade a João Paulo e ao jovem Matheus.

Para Otávio, o ano realmente não foi como ele esperava – ele passou mesmo de revelação a ‘esquecido’. Contudo, a avaliação se mostra positiva e a projeção de futuro também. “Graças a Deus foi um ano positivo, principalmente pelo Paranaense. No Brasileiro tive algumas oportunidades, mas não foi o que eu esperava. Fico feliz por ter participado do grupo o ano inteiro”, afirmou o volante. Claudinei considera o momento do clube ideal para testar jogadores. “Para nós não é um jogo de muita importância. Você coloca um jogador que se ganhar é legal, se empatar é legal, mas se por um acaso perder, ninguém vai ser julgado por isso”.

A segunda aposta é Nathan. Claudinei acredita que o meia teve sua melhor atuação contra o Goiás, na última rodada, e espera a mesma alegria em campo. No caso específico do jogador, a briga que trava nos bastidores contra o próprio Atlético não tem sido um impeditivo para que seja escalado. “Eu acho que pelo que venho mostrando no dia a dia, tendo a oportunidade de estar entre os 20, 22 todo jogo, acho que o Atlético gosta de mim”, disse.

Weverton, Paulinho Dias e Marcos Guilherme são titulares absolutos e foram escolhidos para manter uma base de jogadores com ritmo de jogo para defender os conceitos de Claudinei. O atacante Dellatorre é considerado o 12º titular do time e também vai contribuir para que o time não perca sua personalidade. Já Douglas Coutinho faz sua provável despedida com a camisa do Atlético, afinal foi vendido a um grupo de investidores e deve deixar o CT do Caju na virada de ano.

Defesa

Pela direita Mário Sérgio, tenta jogar bem para o treinador para não acabar no sub-23, perdendo sua vaga na equipe principal. Pela esquerda o gringo Lucas Olaza joga sua última oportunidade de renovação. Com contrato expirando no dia 31 deste mês, vai precisar de uma grande atuação para convencer o treinador e o Departamento de Inteligência. Na zaga, ambos com contrato mais longo, Leo Pereira e Dráusio devem ser os escolhidos.