João Carlos será o novo camisa 1 do Atlético com a saída de Neto. O gerente de futebol, Ocimar Bolicenho confirmou ontem que o goleiro de 22 anos será mais uma aposta do clube, assim como acontecera com Neto ano passado.

Santos, que em 2010 foi terceiro goleiro, e recentemente foi promovido das categorias de base, segue no grupo principal. Renan Rocha, que estava no Vitória, retornou de empréstimo e agora será o reserva imediato de João Carlos.

“Não vamos contratar nenhum goleiro. Temos o João Carlos, que é um excelente goleiro, e temos também o Santos, que continua na equipe. Não vamos emprestar o Renan, que acabou de voltar. Não precisamos contratar goleiros”, assegurou Bolicenho.

Ainda sem ter a informação oficializada pela diretoria, de que será o titular, João Carlos prefere não se manifestar, embora esteja confiante para encarar o novo desafio.

O goleiro só tomará ciência da nova posição quando se reapresentar hoje no CT do Caju. Antes disso, o jogador prefere não falar abertamente sobre o assunto. Mas esta não será a sua primeira experiência como titular do Rubro-Negro.

No ano passado, ele fez quatro jogos como titular, enquanto Neto servia a Seleção Brasileira, e também substituiu o titular na segunda rodada do Campeonato Brasileiro, quando Neto teve de cumprir suspensão pela expulsão contra o Corinthians. Foi a estreia de João Carlos no gol atleticano.

Em 2009, João foi goleiro do Ipatinga na disputa da Série B. Ele defendeu a meta do clube mineiro por nove meses. O goleiro chegou ao Atlético em 2003 – quatro anos mais tarde foi um dos destaques da Copa São Paulo e em 2008 foi promovido ao profissional.

Na Itália

Neto, que dá lugar a João Carlos, e que conquistou a confiança do torcedor em 2010, já está na Itália realizando exames médicos para ser apresentado pela Fiorentina.

O Furacão vendeu 75% dos direitos federativos do jogador por 3 milhões de euros (R$ 7,7 milhões) e receberá o dinheiro em três parcelas. O presidente Marcos Malucelli foi taxativo ao se negar vender os 100% do jogador.

Tentou dificultar a saída do goleiro, mas acabou cedendo. O empresário Neto, Veljko Tadik, foi incisivo ao falar sobre o desejo do jogador de ir para Europa e que ele não teria mais cabeça para ficar no Atlético após a alta proposta salarial feita pelos italianos.