Foto: Allan Costa Pinto

Reação tem que começar neste domingo, diante do Palmeiras e com o apoio da massa rubro-negra.

Para não disputar a Série B, no próximo ano, o Atlético terá de melhorar muito o seu aproveitamento dentro da Arena e, principalmente, fora. Atualmente, o Furacão está na zona de rebaixamento (17.º lugar), com 29 pontos e aproveitamento de 39%. Em casa, o percentual sobe para 51%, em compensação cai para 28,5% longe de seus domínios.

A projeção matemática estima que para escapar do descenso, uma equipe tem de alcançar entre 48 e 50 pontos ao final do Brasileirão. Caso o Atlético permaneça com este mesmo ritmo de aproveitamento, conquistará 12 pontos em oito jogos na Arena e quatro pontos em cinco atuações fora, totalizando 16 pontos. Somados aos 29 atuais, o Rubro-Negro não alcançaria o ?número mágico? para permanecer na elite do futebol brasileiro.

Diante dessa estatística pouco animadora, a reação atleticana tem de começar já neste domingo, contra o Palmeiras. Dentro da Arena, o Furacão fará mais oito partidas (ver quadro) e terá de se tornar praticamente imbatível. E nessa idéia de invencibilidade, em seu território, que o time paranaense se apega.

Força

Para sair da zona da degola, o Atlético recorrerá à força de sua torcida. Desde a última apresentação na Arena, diante do Galo, diretoria, comissão técnica e jogadores pedem a presença em massa do torcedor para empurrar o time nessa fase difícil. E, desta vez, não será diferente. Após a desclassificação da Sul-Americana, em São Januário, todos voltaram a clamar apoio, relembrando que é hora de união entre todos os que desejam ver o Furacão em melhores condições. ?Podem acreditar na nossa equipe que os jogadores vão tirar o Atlético dessa situação?, disse o meia Netinho, mandando um recado otimista ao torcedor, para que ele compareça aos jogos e incentive.

Mais do que nunca é hora de o Caldeirão volta a ferver. Dos próximos cinco compromissos do Rubro-Negro, quatro deles serão disputados em Curitiba, contra Palmeiras, Paraná, Botafogo e Vasco.

Torcida rubro-negra está intimada a lotar a Arena

Fábio Alexandre
Depois da provocação, é a vez da galera atleticana dar a resposta.

Sem dúvida, esse é o melhor momento para a galera rubro-negra lotar a Arena. E motivos não faltam. O time pede ajuda para sair da zona da degola no Brasileirão; a diretoria reduziu o preço do ingresso em sinal de trégua e, por último, o rival Coritiba iniciou campanha de marketing provocando o torcedor do Furacão, ressaltando que o Alviverde tem a maior torcida do Paraná e que isso é comprovado pela presença de público no estádio.

Por esse conjunto de fatores é esperada uma boa resposta do torcedor rubro-negro no domingo, diante do Palmeiras.

Para a Arena transformar-se novamente no Caldeirão que incentiva os jogadores atleticanos e atemoriza os adversários, algumas práticas decorativas serão revividas.

Já está programado o retorno do mosaico humano, formado pela galera sentada nas cadeiras superiores da Buenos Aires; a colocação de bandeiras vermelhas e pretas nas curvas altas do estádio e a queima de fogos de artifício para recepcionar os atletas.

A mensagem a ser repassada no mosaico será de incentivo, para que o Atlético vença e saia da zona de rebaixamento.

Mas nenhum desses adereços dá tanta vida à Arena quanto a presença do torcedor com seu grito de incentivo apaixonado. Por isso, além das torcidas organizadas, o torcedor comum é imprescindível. No atual momento do clube, vale o que o diretor de futebol Alberto Maculan disse após a derrota para o Vasco, na última quarta-feira. ?É hora da imprensa, jogadores, diretoria e torcida jogar para debaixo do tapete quaisquer rusgas que existam e procurar a união, uma sinergia de vitória. Fazendo o dever de casa, terminaremos bem a competição. Mas temos que começar neste domingo?, finalizou.