Vale tudo para tentar tirar o Atlético da situação incômoda pela qual passa no Brasileirão. Faltando oito rodadas para o término da competição, o clube ocupa a 18.ª posição na tabela e precisa somar, pelas projeções mais otimistas, 15 dos 24 pontos a serem disputados.

Sites especializados apontam como grande a probabilidade do time cair à Segundona como o Infobola que dá 74% de chances de rebaixamento e o Chance de Gol, 79,5%.

Para evitar que esse clima de derrotismo chegue até os jogadores, o clube tem adotado alguns procedimentos extra-campo para blindar um pouco o elenco. Desde a semana passada, a delegação tem antecipado a concentração. Também foram ampliados os trabalhos motivacionais, com palestras e apoio psicológico.

Tudo isso para incentivar o convívio entre os atletas e criar um ambiente de mais união. E essas medidas vão ser mantidas até o final da temporada. “Não está se deixando de fazer nada para tirar o Atlético desta situação. Muito trabalho de campo e extra-campo para dar tranqüilidade e consciência ao grupo daquilo que ele precisa. O departamento médico está trabalhando para liberar os atletas machucados. Tratamento em tempo intensivo. O jogador lesionado fica aqui full time. Estamos concentrando com antecedência para controlar repouso, alimentação e para unir mais o grupo. Palestras, vídeos nossos e sobre o adversário. A mobilização é total. Aqui você não vê ninguém entregue, derrotado. Todos acreditam que temos todas as chances de evitar o rebaixamento”, afirmou o treinador Geninho.

De acordo com o zagueiro Gustavo, as medidas que estão sendo adotadas são positivas porque promovem o crescimento da equipe. Ele destaca a concentração antecipada assim como as palestras motivacionais como fatores fundamentais para enfrentar esse período conturbado.

“Temos conversado muito entre nós e com o professor Geninho. Na semana passada teve a palestra com a Suzy (Fleury -psicóloga). São fatores que vão acrescentando e nesse último jogo foi possível notar uma crescente na nossa equipe”, explicou.

Rhodolfo, que retornou aos treinamentos após passagem pelo departamento médico, comentou como esse período difícil do Atlético reflete na vida pessoal do atleta e como o grupo espera reverter o quadro desfavorável.

“Afeta o dia-a-dia. Você tenta sair pouco, né. Vai em uma churrascaria, já não vai pro mercado. Tem que tomar cuidado para não queimar a imagem. Mas todo mundo está focado no trabalho, vindo concentrar antes e com muita seriedade para sairmos dessa”, finalizou.