Para buscar a vitória diante do embalado Botafogo, Roberto Fernandes treinou novas variações táticas ontem. Isso pelo baixo aproveitamento das duplas de ataque e principalmente pela possibilidade de contar com a estréia de Rafael Moura e Fernando, que ganharam condições de jogo com a inclusão no BID.

Fernando e Rafael já foram confirmados pelo treinador e entram numa fase difícil, carregando a responsabilidade de acertar o time em dois setores que têm apresentado fraco desempenho.

Rafael é a aposta do treinador para reverter a incômoda marca que o Atlético possui de ter o pior ataque do Brasileirão, com 15 gols em 16 partidas. Já Fernando assume o meio-campo ao lado de Alan Bahia com a função de dar mais qualidade ao passe e como alternativa para a bola parada, que inexiste desde a saída de Netinho, por contusão.

Apesar de estar há mais de um ano sem disputar uma partida oficial, inteira, o volante tem o aval do treinador para começar jogando. “Pela experiência e qualidade técnica que o Fernando tem, vamos apostar na entrada dele desde o início. Claro que em algum momento vai pesar o ritmo de jogo. No momento que isso acontecer o banco vai ter que funcionar”, explicou Fernandes.

Além desses reforços, o treinador poderá contar com o retorno do ala Márcio Azevedo e do meia Julio dos Santos, que cumpriram suspensão automática. A escalação da equipe que enfrenta o Botafogo, amanhã, às 18h10, na Arena será confirmada somente pouco antes da partida.

Confiança

O novo reforço rubro-negro contou que está tranqüilo e preparado para fazer sua estréia amanhã. “O cansaço vai ser natural. Mas enquanto eu puder ajudar o time, vou procurar fazer da melhor maneira possível.”

A responsabilidade de entrar num momento difícil também não incomoda Fernando. “A pressão faz parte do futebol e se o atleta não estiver preparado para isso tem que ir pra casa e ficar sentado na cadeira, assistindo jogo”, finalizou.