O empate por 2 x 2 contra o Fluminense, domingo, torna o caminho do Atlético mais difícil a partir de agora para chegar ao tão sonhado G3 e garantir participação na Copa Libertadores.

Pelas contas do próprio clube, é preciso fazer 16 dos 21 pontos que ainda estão em disputa para alcançar o objetivo. Com 47 pontos, o Furacão tem seis a menos que o Corinthians – atual terceiro colocado.

Restando três jogos em casa (Palmeiras, Grêmio Prudente e Avaí), o fator Arena da Baixada ainda tem peso nas chances de classificação, mas sozinho não garantirá a vaga.

Por isso, o time terá de se desdobrar para conseguir pontos fora de casa. Serão quatro confrontos como visitante – contra São Paulo, Grêmio, Flamengo e Ceará. Desde que o Furacão faça 9 em casa, destas partidas deverão vir outros 7. A matemática atleticana é feita com base no Brasileiro do ano passado, quando 62 pontos garantiram vaga na Libertadores.

Sérgio Soares sabe disso tudo e logo após o empate em casa, domingo, á começou a traçar novos planos, destacando que o objetivo não pode ser dado como perdido.

“Temos que buscar pontos fora de casa. O bom é que nesta rodada apenas invertemos a situação com o Botafogo. O Atlético vai buscar esta classificação até a última rodada”, garantiu o comandante.

Para se garantir no torneio intercontinental, que o Furacão não disputa desde o vice-campeonato em 2005, será lembrada até a campanha de 2008, quando o clube deu um sprint final para escapar do rebaixamento.

Naquela temporada, o clube escapou da queda há oito rodadas do fim do campeonato. O Atlético obteve 71% de aproveitamento naqueles últimos jogos, conseguiu 17 pontos necessários e manteve-se na Série A.

Agora, a campanha precisa ser repetida. “Tudo que for benéfico para que possamos trabalhar nesta classificação para a Libertadores, será feito. Os meninos estão acreditando e não é porque empatamos que vamos deixar de acreditar‘, ressaltou Sérgio Soares.

Para ele, a melhor maneira de se manter vivo na competição é esquecer todos estes números e encarar cada jogo de maneira isolada, como se não tivesse rodada seguinte.

“O Brasileiro começa com dez candidatos ao título e é mais difícil em função disso. O Atlético tem que ganhar rodada a rodada. Primeiro, vencer o São Paulo; depois, pleitear a Libertadores e o título rodada a rodada”, destacou.