Walter Alves / O Estado do Paraná
Dagoberto forma o ataque
titular ao lado de Washington.

Após o tropeço do meio de semana diante do Botafogo, o Atlético volta a campo hoje para buscar mais uma vitória e voltar a figurar entre os quatro primeiros colocados.

Além disso, o Rubro-Negro quer manter o tabu de nunca ter perdido para o São Paulo na Arena e de não perder em Curitiba há 22 anos para o time do Morumbi. Para tanto, o técnico Levir Culpi poderá contar com as voltas dos volantes Pingo e Bruno Lança, que se recuperaram de contusões e estão à disposição. A partida está programada para às 18h e a expectativa, pelos ingressos vendidos com antecedência, é de casa cheia.

Na história dos confrontos entre as duas equipes pelo nacional um forte equilíbrio. Cada equipe ganhou oito jogos e, em outras sete partidas, ocorreram empates. Os paulistas levam vantagem, no entanto, quando se conta os gols marcados. O tricolor anotou 31 vezes, enquanto o Furacão fez 27 gols.

Numerologia à parte, o treinador rubro-negro trabalhou com o grupo ontem para corrigir os erros cometidos em Caio Martins. O time deu espaço demais para uma das piores equipes do Brasileirão e acabou cedendo o empate, quando poderia ter até sofrido o revés no final da partida. Segundo Levir, o empate diante do Botafogo foi ruim, mas como o campeonato é longo, o ponto somado, pelo menos, mantém a regularidade da equipe.

“A gente busca o equilíbrio e, agora, temos que buscar os três pontos contra o São Paulo para não deixarmos os líderes escaparem”, disse. Graças aos últimos resultados, o Furacão conseguiu se segurar no topo e precisa vencer para figurar na zona da Libertadores (os quatro primeiros). Nos últimos cinco jogos, foram três vitórias e dois empates. “Estamos mantendo um bom desempenho, mas ainda temos que corrigir alguma coisa”, destaca.

Diante do São Paulo, Levir poderá manter o mesmo time que enfrentou os cariocas ou promover a volta de um volante. Tanto Pingo, quanto Bruno Lança já estão à disposição e lutando por um lugar no time titular. Se um deles voltar, a tendência é de Fabiano passar a atuar como líbero, com Ígor indo para a suplência. O restante da equipe será o mesmo, já que o atacante Dagoberto foi absolvido no julgamento de sexta-feira no STJD e poderá enfrentar o São Paulo. A escalação oficial só deverá sair momentos antes da partida, como é praxe do treinador. O único desfalque continua sendo o zagueiro Marinho, submetido a uma artroscopia na quarta-feira.

São Paulo não teme jogo na Arena

José Eduardo Savóia

São Paulo (AE) – Ao contrário do que imagina o seu torcedor, o São Paulo está curtindo a idéia de enfrentar o Atlético na Arena da Baixada. Enfrentar a pressão da fanática torcida local, que costuma empurrar a sua equipe para as vitórias, não assusta os são-paulinos. Ao contrário: o técnico Cuca e alguns de seus jogadores sentem prazer em se apresentar no chamado alçapão atleticano.

“Me dá prazer jogar naquele estádio. A gente sente o frisson da torcida. A combinação de cores entre o verde (do gramado), e o preto-e-vermelho da torcida é uma coisa linda. O torcedor consegue ver a cor do olho do jogador”, observa o treinador são-paulino.

O curitibano Cuca não é o único que adora jogar na Arena da Baixada. O atacante Diego Tardelli, que também viveu sete anos em Curitiba, quando seu pai, Tadeu, defendeu o Paraná, sonhava com a chance de jogar na Arena.

Tabu é coisa de estatísticos ou de supersticiosos, diriam alguns. Mas o fato é que o São Paulo nunca venceu na Arena da Baixada. Cuca não liga para isso. “Deixa de ir na bola numa cobrança de escanteio para você ver se tabu ganha jogo?”, questiona o treinador.

Se tabu for importante, o São Paulo também tem o seu: não perde para equipes do Sul há oito jogos. Ganhou cinco e empatou três. Cuca despreza qualquer espécie de dados cabalísticos. “Se não acredito em tabu quando nos é favorável, não posso acreditar quando nos é contra.”

Mesmo com os desfalques de Luís Fabiano (machucado), Grafite e Fabão (suspensos), Cuca assegura que o São Paulo vai jogar para vencer.

O São Paulo pode começar com três zagueiros e dois atacantes e terminar com dois zagueiros e três atacantes, ou vice-versa. Apesar dos desfalques importantes, o São Paulo terá de volta a experiência de César Sampaio. Outra boa notícia: a absolvição de Fábio Santos no julgamento de sexta-feira. A goleada sobre o Goiás, por 4 a 0, no Morumbi, também serviu para fortalecer o emocional da equipe – especialmente pela ausência de Luís Fabiano.

CAMPEONATO BRASILEIRO
ATLÉTICO X SÃO PAULO

Atlético: Diego; Rogério Correia, Fabiano e Marcão; Fernandinho, Alan Bahia, Bruno Lança (Pingo), Jádson e Ivan; Dagoberto e Washington. Técnico: Levir Culpi

São Paulo

: Rogério Ceni, Edcarlos, Lugano e Rodrigo; Cicinho, César Sampaio, Alê, Danilo e Fábio Santos; Diego Tardelli e Jean. Técnico: Cuca

Súmula
Local
: Joaquim Américo
Horário: 18h
Árbitro: Luciano Augusto Teotônio Almeida (FIFA-DF)
Assistentes: Jorge Paulo Oliveira Gomes (FIFA-DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)