O Atlético enfrenta o Londrina hoje, às 21h50, no estádio do Café, em jogo de estreia do returno do Campeonato Paranaense. A situação, agora, é oposta a que o Furacão enfrentou no primeiro jogo da competição. Se no dia 22 de janeiro o time entrou em campo tendo de mostrar que a reformulação feita no elenco era um passo acertado, hoje o elenco precisa manter o embalo que deu o título do primeiro turno e uma vaga na decisão do Estadual.

O técnico Juan Ramon Carrasco e seus comandados terão como maior adversário a própria campanha da primeira fase, que teve um ataque eficiente e a melhor defesa da competição. Se conseguir repetir o feito do primeiro turno, o Furacão se credencia a ser campeão paranaense, o que não ocorre desde 2009. E é isso que o grupo quer: o título com antecedência. Ninguém pensa em aliviar por ter encontrado um atalho para a decisão do Paranaense.

“O gás para ganhar o segundo turno é maior ainda. Queremos ganhar de qualquer jeito e vamos começar firme contra o Londrina”, garantiu o meio-campo Marcinho, que será titular hoje.

No começo da temporada, sob desconfiança, o Furacão venceu o Londrina por 2 x 0. A partida aconteceu no Germano Krüger, em Ponta Grossa. Hoje, o que o time precisa mostrar é que os “reservas” estão à altura dos jogadores mais utilizados por Carrasco até aqui. Serão três mudanças forçadas, todas por veto do departamento médico do clube.

Os ausentes são Bruno Furlan, Ligüera e Ricardinho. O trio está entre os jogadores que mais marcaram gols para o Furacão neste ano, ficando atrás apenas de Bruno Mineiro, que já balançou as redes 8 vezes. Furlan e Ligüera têm 4 gols cada um, e Ricardinho 2. Por sinal, Ricardinho foi autor do primeiro gol do Rubro-Negro neste Paranaense, justamente contra o Londrina.

Sem os três, as novidades devem ser Harrison no lugar de Ligüera e Marcinho e Marcelo nas vagas de Bruno Furlan e Ricardinho. Porém, Marcinho não revela em qual posição deve atuar. Ele pode jogar como atacante ou como armador, empurrando Harrison para frente. Não seria novidade Marcinho atuar mais à frente, já que Carrasco demonstra que gosta de improvisações na equipe. “Sei que vou jogar, mas não sei onde. Eu treino em todas [as posições]. No Atlético, aliás, não tem atleta que entre em campo e possa dizer que não jogou em tal posição”, despistou o meio-campo.