Walter Alves
Jancarlos ainda não conseguiu definir se a torcida grita mesmo o seu nome nas arquibancadas.

Gatos escaldados. É assim que os jogadores do Atlético estão encarando o clássico de sábado contra o arqui-rival Coritiba pelo Campeonato Brasileiro. Tudo porque no primeiro turno a partida diante do Alviverde representou a primeira vitória na competição, após sete derrotas e três empates. Por isso, a atenção é total. Mesmo com a crise instalada no Alto da Glória, o discurso no Furacão é um só: evitar o oba-oba e pregar muito respeito ao adversário.

?A gente sabe que o Coxa não vive um bom momento e vem de várias derrotas. Nós temos que ter atenção, muita aplicação. A gente já passou por isso, não estava conseguindo os resultados e o Coritiba vinha bem no primeiro turno?, analisa o artilheiro Lima. Ele revela que os jogadores atleticanos já conversaram sobre o assunto. ?O time do Coritiba perdeu esses jogos e vai querer se reabilitar em cima da gente e nós vamos tentar não deixar?, aponta.

Para o zagueiro Paulo André, a mudança de treinador deverá dar uma motivação maior aos jogadores do Alviverde. ?Isso mexe com os jogadores. É uma motivação nova e isso é uma tentativa deles mexerem com o grupo para dar um novo ânimo?, destaca. No entanto, ele diz que o melhor a fazer é deixar os problemas do adversário no Alto da Glória. ?A gente fica no lado de cá, procurando não se envolver com isso e se preocupando apenas com o nosso time?, propõe.

E, essa preocupação com o time vai além do Coritiba. Após três vitórias seguidas no campeonato e a subida na tabela, o problema é evitar que a euforia tome conta. ?Oba-oba não tem aqui. Temos que continuar trabalhando com os pés no chão para que o resultado continue a vir?, diz o lateral-direito Jancarlos. De acordo com ele, o velho chavão de que clássico é clássico está mais do que nunca em voga. ?Esse clássico não vai ser diferente. Vamos jogar na casa deles, vai ser um jogo difícil e não tem favorito?, finaliza.

Depois da saída do técnico Antônio Lopes e com a chegada de Evaristo de Macedo o Atlético só ganhou. Foram vitórias contra Flamengo, Fortaleza e Brasiliense, sendo dez gols marcados e apenas um sofrido. No primeiro turno, a partida contra o Coritiba terminou 1 a 0 para o Furacão, gol de Evandro.

Esquema especial pra contar com Ferreira

O Atlético armou um esquema especial para poder contar com o meia Ferreira no clássico de sábado, mas isso não quer dizer que o colombiano será titular. Depois de defender a seleção de seu país nas eliminatórias para a Copa do Mundo, ele será mais um reforço para o técnico Evaristo de Macedo usar no Campeonato Brasileiro. Hoje, o treinador vai definir se mantém a equipe que venceu o Brasiliense por 4 a 0 ou tira alguém para promover a volta do ?gringo?.

Após ficar fora dos confrontos contra Fortaleza e Brasiliense para jogar pela seleção da Colômbia (a partida final foi contra os paraguaios, ontem, em Assunção), o Rubro-Negro armou um esquema para trazer Ferreira de volta. O clube comprou passagem para o meia sair da capital guarani de manhã cedo, chegar em Curitiba antes do almoço, descansar e treinar no período da tarde.

Tudo isso, no entanto, apenas para deixar o jogador à disposição de Evaristo. Com o ?gringo? no CT do Caju, o treinador vai quebrar a cabeça para ver o que vai fazer. Quando foi para a seleção da Colômbia, Ferreira era titular. Agora na sua volta, Lima, Evandro, Aloísio e Dagoberto estão gastando a bola e aplicando goleadas de quatro em quatro.

Além de Ferreira, outro jogador que volta a ficar em condição de jogo é o volante Ticão, após suspensão automática. Mas ele deverá ficar entre os suplentes na partida contra o Coritiba. O treinamento que deverá definir a equipe para pegar o arqui-rival ocorre hoje à tarde no CT do Caju. Amanhã, está previsto apenas um trabalho leve pela manhã.