Cumprir prazo não é o forte

Atlético não conseguiu entregar estádio dentro do prazo exigido

Mais um prazo determinado pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, não foi cumprido pelo Atlético e pelos organizadores da Copa do Mundo em Curitiba. Na sua última visita à capital paranaense, no dia 22 de abril, o dirigente da entidade máxima do futebol mundial pediu que o estádio atleticano estivesse totalmente concluído hoje, mas o prazo não foi cumprido e o segundo jogo-teste do estádio entre Atlético e Corinthians, amanhã, às 19h30, vai acontecer com algumas frentes de trabalho inacabadas.

O ritmo de trabalho dentro do canteiro de obras da Arena parece não ter sido o esperado e o planejado pelos organizadores do Mundial em Curitiba. Porém, um possível problema financeiro nas últimas três semanas não foi constatado. No mesmo dia em que Jérôme Valcke visitou o estádio atleticano, a Fomento Paraná fez um repasse de R$ 12 milhões à CAP S/A referente a parte do último contrato de financiamento. Entretanto, a descapitalização do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE) impediu que a instituição financeira estadual realizasse nas datas programadas os dois repasses seguintes. Um deles, que deveria sair no dia 30 de abril, chegou aos cofres do Atlético somente na semana passada.

Cadeiras

Pouco mais de 30 mil das 43 mil cadeiras já foram colocadas na Arena da Baixada. A demora nesta frente de trabalho deu-se pela demora na entrega dos assentos por parte da Kango Brasil, empresa que pertence ao filho do presidente do Atlético, Mário Celso Petraglia. Houve uma falha na fabricação do último lote e, somente nas últimas semanas a empresa conseguiu entregar as peças das cadeiras. Para agilizar o processo, a diretoria de construção do Atlético confirmou que os assentos serão montados no próprio estádio.

As áreas onde será colocada a imprensa dentro e fora do estádio estão inacabadas, assim como a parte de tecnologia da informação e a conclusão da obra da praça em frente ao estádio, que dá acesso à esplanada do Joaquim Américo. Por isso, a imprensa que vai trabalhar no jogo-teste de amanhã entre Atlético e Corinthians será colocada improvisada na final da reta inferior do setor Brasílio Itiberê.

Imprensa

O prédio de imprensa de seis andares, que está sendo construído em anexo à Arena da Baixada entre as Ruas Brasílio Itiberê e Madre Maria dos Anjos, não será finalizado a tempo de ser usado na Copa do Mundo. Por isso, a estrutura da tenda que será instalada no estacionamento do Joaquim Américo e que vai abrigar a imprensa durante o Mundial já começou a ser montada. ‘Toda estrutura começou a ser montada na sexta-feira e serão finalizadas no período de exclusividade da Fifa, que começa no dia 22. É de responsabilidade da Fifa também toda a instalação da parte de móveis e do que for necessário para a imprensa atuar neste local na Copa’, explicou o coordenador-geral do Estado para assuntos da Copa do Mundo, Mário Celso Cunha.