Atlético na expectativa de quebrar marcas com Ney Franco

Em menos de um mês no comando do Atlético, Ney Franco está perto de alcançar feitos inéditos neste Brasileirão. Em cinco jogos, o técnico terá o privilégio de escalar a mesma equipe pela terceira vez consecutiva, fato que causaria inveja aos antecessores Oswaldo Alvarez e Antônio Lopes, que sofreram com problemas de contusão e suspensão de jogadores. E, dependendo do rendimento de seus comandados na partida de amanhã, diante do Fluminense, Franco poderá sair do Maracanã com a terceira vitória consecutiva – o que não acontece com o Furacão desde a campanha do ano passado. Na reta final do Brasileirão 2006, o Rubro-Negro venceu as equipes do Fortaleza, Paraná e Vasco.

Para concretizar tal façanha, o treinador comandou ontem um treinamento técnico e tático no CT do Sendas, Rio de Janeiro, e contou com todos os jogadores à sua disposição. Ramon, que era dúvida, treinou normalmente e deverá seguir com a camisa 10 rubro-negra. Netinho permanece como opção, tanto para o meio-campo como para a ala-esquerda. Hoje, Ney Franco faz mais um coletivo e define definir o onze titular.

Caso vença o Fluminense, o Furacão se afasta um pouco mais da temida zona de rebaixamento e começa a pensar na briga por vaga à Sul-Americana.

Tiago e Alex Mineiro vivem a dura rotina da fase de recuperação

Valquir Aureliano
O meia-atacante teve que reconstruir o ligamento cruzado do joelho direito e só volta aos gramados em 2008.

Enquanto as recentes contratações atleticanas chegam e treinam no CT do Caju buscando aprimorar o condicionamento físico, como o lateral-esquerdo Piauí e o atacante Taílson, velhos conhecidos lutam para se recuperar de lesões e voltar a jogar futebol o mais rápido possível. São os casos do meia-atacante Tiago e do artilheiro Alex Mineiro, que passaram por intervenções cirúrgicas há pouco tempo.

Ao contrário do badalado Alex Mineiro, que já tem seu nome gravado na história do clube, Tiago chegou ao Rubro-Negro para conquistar seu espaço após ter realizado um bom Campeonato Paranaense defendendo as cores do ?Vermelhinho? de Paranavaí – equipe pela qual foi campeão estadual. Estreou com a camisa atleticana no 2.º tempo da partida contra o Santos (27 de maio), mas sentiu a falta de ritmo e não foi bem. Ganhou novas chances contra Galo Mineiro e Goiás, entrando sempre na etapa final. A melhora de rendimento lhe proporcionou a titularidade diante do Fluminense (17 de junho), na estréia do técnico Antônio Lopes. O meia fazia uma boa partida, mas no final do 1.º tempo recebeu uma forte pancada no joelho que atrapalhou sua progressão no Atlético.

Em 12 julho, o atleta foi submetido a cirurgia para a reconstrução do ligamento cruzado anterior do joelho direito, cuja previsão de recuperação foi estimada em seis meses. Passados 47 dias da operação, Tiago está em fase de recuperação no CT do Caju.

No momento, a recomendação é realizar exercícios anaeróbicos (bicicleta e esteira) e musculação para fortalecer e proporcionar maior extensão ao músculo. A evolução do atleta está dentro do cronograma médico, mas Tiago só voltará a praticar futebol competitivo durante a pré-temporada do clube, no próximo ano. Para isso, o meia deverá renovar seu contrato com o Furacão cuja vigência termina em dezembro de 2007.

Só em novembro

Alex Mineiro é o principal nome dentro do Atlético na atualidade. Em seus ombros foi depositada a esperança da nação rubro-negra de um bom Brasileiro neste ano. Porém, a trajetória do ídolo foi interrompida em 28 de julho quando recebeu um chute no rosto durante disputa de bola com o meia Tcheco, do Grêmio. Alex saiu da partida numa maca e direto para o hospital. A lesão foi grave. O artilheiro fraturou ossos do maxilar e nariz e, para reparar o dano causado, somente com uma cirurgia de reconstrução facial.

Ontem completaram 35 dias da operação a qual Alex foi submetido e a recuperação dele é avaliada como excelente pelo departamento médico rubro-negro. Na próxima 3.ª feira, ele será reavaliado pelo médico Carlos Roberto Ballin -responsável pela cirurgia – que deverá indicar ao atleta o retorno à prática de exercícios de fortalecimento muscular. Isso é necessário porque o atacante continua se alimentando apenas com substâncias pastosas, o que lhe rendeu a perda de massa muscular.

De acordo com o médico Paulo Brofmann, em 17 de setembro, está previsto a volta do artilheiro aos trabalhos de campo e, gradativamente, ele vai ter contato com bola e companheiros de time.

No entanto, a torcida poderá matar saudades de Alex somente em novembro, quando completam os 90 dias necessários para a cicatrização pós-operatória. A partir desse prazo, voltar a defender a camisa rubro-negra em jogos oficiais só dependerá da confiança do atleta em si mesmo, pois cabe a ele decidir quando estará pronto para pisar nos gramados. O uso de uma máscara de proteção para o rosto foi cogitada para dar mais segurança ao jogador, mas isso ainda sequer foi discutido entre Alex e a comissão médica.

Essa foi a primeira vez que o jogador, de 32 anos, sofre uma contusão séria em toda a sua carreira. Afastado do campo de jogo, Alex não se distancia do dia-a-dia atleticano. Durante a série de maus resultados do time no Brasileirão, sob o comando de Antônio Lopes, o jogador foi ao CT do Caju para conversar com seus colegas e transformou-se em um dos articuladores do pedido à diretoria do Furacão para que os preços dos ingressos fossem reduzidos na Baixada.

Voltar ao topo