Atlético-MG e Santos esqueceram momentaneamente as finais dos seus respectivos campeonatos estaduais e fizeram um jogo eletrizante nesta quarta-feira, no Mineirão, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Em noite inspirada, Diego Tardelli fez os três gols do time mineiro na vitória por 3 a 2. Robinho e Edu Dracena ainda mantiverem o time da Vila Belmiro bem na disputa.

O jogo de volta acontece na próxima quarta, na Vila. Antes disso, o Santos decide o Campeonato Paulista contra o Santo André, no Pacaembu. Também no domingo, o Atlético-MG enfrenta o Ipatinga, no Mineirão, já com os 64.800 ingressos para a partida esgotados.

TIMES NO ATAQUE – O Atlético tratou de dar logo as cartas da partida no Mineirão. Com apenas dois minutos, Diego Tardelli aproveitou chute errado de Carlos Alberto para desviar firme para o gol. Era o primeiro do time mandante, para delírio da torcida atleticana, que compareceu em bom número.

Mas o time sensação da temporada também quis mostrar o seu valor. Mesmo sem Neymar, que ainda se recupera de lesão no olho, o Santos não se acuou com o gol sofrido e, como tem sido sua característica, foi para cima. Pará, com uma bola na trave, e André tiveram suas chances ainda no primeiro tempo.

Se os santistas desperdiçavam, Tardelli não. Júnior cruzou para área, o goleiro Felipe deu rebote e o atacante empurrou para o fundo do gol, aos 41 minutos. A destacar, a vibrante comemoração de Vanderlei Luxemburgo, que já foi por quatro vezes técnico do Santos, a última no ano passado.

RESPIRO – Quando a vitória parcial parecia encaminhada, Wesley encontrou Robinho – esse até então, apagado – na área e o camisa 7 teve tranquilidade para tirar do goleiro Aranha. O gol deu novo ânimo para equipe santista voltar mais atenta do intervalo.

“Tomamos dois gols bobos. Temos que marcar melhor e sair mais rápido com a bola”, disse Robinho. Do outro lado, Tardelli pedia mais. “A gente sabe que tomar gol dentro de casa é difícil, mas é continuar a fazer o que estamos fazendo e jogar com mais inteligência.”

Tardelli cobrou. E foi atendido. Aos sete minutos da etapa complementar, Muriqui encontrou o atacante na cara do gol. Mais uma vez, ele não desperdiçou. Foi o sétimo gol de Tardelli na competição. Ele ainda teve tempo para fazer o oitavo, mas o árbitro Héber Roberto Lopes anulou alegando impedimento.

Cansado, o time mandante parou. Então foi a vez dos santistas atacarem. Paulo Henrique Ganso se livrou dos zagueiros e cruzou para Edu Dracena, mesmo torto, marcar de cabeça, aos 37 minutos.

Já sem o ataque e Diego Tardelli a pleno vapor, Aranha tratou de fechar o gol atleticano e garantir o placar. Na única bola que não chegou, a trave esteve presente, em cabeçada de Robinho.

Ficha técnica:

Atlético-MG 3 x 2 Santos

Atlético-MG – Aranha; Carlos Alberto, Jairo Campos, Werley e Júnior; Zé Luiz, Correa (Jonílson), Fabiano (Renan Oliveira) e Ricardinho (Leandro); Muriqui e Diego Tardelli. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Santos – Felipe; George Lucas (Maranhão), Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Marquinhos (Rodrigo Mancha), Wesley e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Júnior.

Gols – Diego Tardelli, aos dois e aos 39, e Robinho, aos 44 minutos do primeiro tempo; Diego Tardelli, aos sete, e Edu Dracena, aos 37 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos – Zé Luiz (Atlético-MG); Pará e Arouca (Santos).

Árbitro – Heber Roberto Lopes (Fifa-PR).

Renda – R$ 1.003.460,00.

Público – 46.239 pagantes.

Local – Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).