Valquir Aureliano
Ivan diz que a situação não
está nada fácil e que a torcida
está cobrando até na rua.

Hoje é dia do caldeirão voltar a ferver, para o bem ou para o mal. Em clima de decisão, já que o time não vence em casa há 108 dias e está na zona do rebaixamento, o Atlético tenta se desvencilhar da crise. Protestos contra os dirigentes e contra o técnico Givanildo de Oliveira estão programados nas arquibancadas e os jogadores preferem até que o torcedor não vá a campo. Isso mesmo. Ingredientes para um verdadeiro sabadão quente na Baixada, que terá explicação de cartola às 14h30 e o jogo contra o Juventude às 18h10.

Num ano que prometia muito, o Rubro-Negro foi se enfiando num buraco que parece não ter fundo. A última vez que a equipe ganhou em casa foi no dia 8 de fevereiro, num 3 a 2 sobre o Rio Branco e com o comando de Lothar Matthäus. Ele fugiu invicto de Curitiba, mas ainda é apontado como o maior culpado pela série de fracassos. Depois dele, já foi para a guilhotina o ex-interino Vinícius Eutrópio e o próximo da lista pode ser Givanildo.

Com tudo isso, o Movimento Acorda Torcedor Atleticano (Mata) voltou à ativa e prepara nova manifestação. Ressabiados com a repercussão negativa e a péssima fase da equipe, os presidentes do conselho deliberativo e gestor, Mário Celso Petraglia e João Augusto Fleury da Rocha, respectivamente, vão falar com a imprensa sobre ?diversos assuntos?. Poderão responder sobre a enrolada renovação de contrato do atacante Dagoberto, por que não substituem o treinador e por que não contratam jogadores de qualidade para o Brasileirão e Copa Sul-Americana.

Tanta coisa num mesmo dia que a pressão de jogar na Baixada parece ter efeito contrário ao dos anos anteriores. ?É outro jogo que a gente vai fazer de tudo para ganhar e não vou chamar o torcedor para vir com a gente porque a fase não é boa. Então, vamos fazer de tudo para vencer o jogo e, depois sim, chamar a torcida para jogar com o time?, aponta o lateral-esquerdo Ivan. Envergonhado, ele começa a sentir na rua a ira dos torcedores contra a equipe. ?Está todo mundo bravo.

A gente vê o drama do torcedor. O time não está fazendo por merecer, mas o torcedor tem que entender que nós nunca deixamos de correr?, finaliza o lateral.

Carlos Alberto é a novidade no time

O lateral-direito Carlos Alberto deverá ser a principal novidade do Atlético para a partida contra o Juventude. Ele substitui Jancarlos, que foi expulso na derrota para o São Caetano. Além disso, o técnico Givanildo de Oliveira poderá mudar o esquema tático para o 4-4-2, com a entrada de Dênis Marques no ataque, ao lado de Herrera. Sem falar com a imprensa, o treinador só deverá confirmar a escalação nos vestiários.

A julgar pelo que o clube divulgou na internet, ele não fez nada no CT do Caju depois de perder para o Azulão.

Segundo o sítio do Rubro-Negro, ontem, após um alongamento e um aquecimento leve, os jogadores pegaram a bola e fizeram um recreativo sob o comando de Nilson Borges. Nada de tática, técnica ou fundamentos. Talvez pelo curto período entre um jogo e outro, Givanildo possa ter preferido não fazer nada de específico, mas para quem tem uma defesa que parece um queijo suíço e um ataque que perde um caminhão de gols, chega a ser preocupante.

A imprensa continua sem ver o que se passa no CT. Assim, a expectativa fica para o que o time irá apresentar de novo na partida contra os gaúchos.

O lateral-direito Carlos Alberto, pelo menos, está confirmado. ?Sempre estive preparado para as oportunidades. Se ela aparecer agora, vou encarar bem. Espero ter essa chance e, se eu for para o jogo, espero fazer uma boa partida para ajudar a equipe?, discursa. Apesar de não querer confirmar presença em campo, ele é a única opção de Giva para o lugar de Jancarlos, que já levou dois vermelhos no Brasileirão.

Rumores

Depois de Carlos Roberto (ex-Botafogo) ter revelado que foi sondado para assumir o Atlético, agora é a vez de Hélio dos Anjos (Juventude). De acordo com a imprensa gaúcha, o treinador não quis aprofundar a conversa e teria deixado para se encontrar com os dirigentes do Atlético após a partida de hoje, desde que o cargo estivesse vago.

Pronto pra aumentar a crise do Rubro-Negro

O Juventude, que vem de três vitórias consecutivas no Brasileirão, pretende aumentar a crise no Atlético, vencendo mais uma no Brasileirão. O time treinado por Hélio dos Anjos, que apostará no 3-5-2, deve ter duas mudanças na equipe que enfrenta o Furacão. Fabrício volta à defesa depois de cumprir suspensão.

Na meia-cancha, o volante Walker retoma a posição de titular na vaga de Vanderson.

Atacante

Um desentendimento com o técnico Cuca, na acidentada passagem do jogador pelo Grêmio, em 2004, foi o fator que decidiu a vinda do jogador Christian, para o Juventude.

Christian, de 31 anos, alegou motivos particulares para deixar o Fogão e transferir-se para o time de Caxias do Sul, clube com o qual já conversara no início do ano. O jogador consagrou-se no futebol gaúcho vestindo a camisa do Internacional, em 1997, o que lhe rendeu uma transferência para o Paris Saint Germain, da França.

Com a vinda de Christian, o Ju dispensou o avante Josiel, um dos destaques da equipe no ano passado, mas que este ano não conseguiu deslanchar. Christian só deverá ficar à disposição do time de Caxias na próxima semana.

CAMPEONATO BRASILEIRO
8.ª Rodada
Local: Estádio Joaquim Américo
Horário: 18h10
Árbitro: Elvécio Zequetto (MS)
Assistentes: Alécio Aparecido Lezzo (MS) e Paulo César Pereira de Freitas (MS)
Tempo: A previsão é de tempo bom.
Temperatura: O termômetro deverá variar entre 16 e 19ºC.

Atlético x Juventude

Atlético
Cléber; Danilo, Alex (Dênis Marques) e Paulo André; Carlos Alberto, Erandir, Alan Bahia, Evandro e Ivan; Ferreira e Herrera. Técnico: Givanildo de Oliveira

Juventude
André; Fábio Ferreira, Fabrício e Walker (Marcão); Raulen, Renan, Vânderson (Walker), Marcel e Lino; Leandrinho e éder Ceccon. Técnico: Hélio dos Anjos