Raulen é mantido como lateral.

O Atlético encara hoje a sua primeira prova de fogo da era Levir Culpi. Depois de vencer o bicho-papão Santos em casa, o novo treinador tenta vencer o primeiro jogo fora de casa, diante do Corinthians.

Pior do que enfrentar um dos mais tradicionais times do país, encara um clube em crise eterna e mordido por ter sido desclassificado na Copa do Brasil. Para esta partida, as novidades no Rubro-Negro serão as presenças de Raulen, Bruno Lança e Dagoberto. A partida está programada para às 18h, no Pacaembu.

“É aquela coisa, vem aquela pressão, aquele clima. O Corinthians é um time parecido com o Atlético, time de torcida, de exigência constante”, analisa Levir. Com isso, segundo ele, o lado emocional de quem entra em campo pesa muito. “É importante o nosso time ter equilíbrio emocional. Isso pode definir, inclusive, o andamento da partida”, expõe.

No entanto, o treinador rubro-negro faz um balanço positivo e acredita na vitória diante do Timão. “Os jogadores estão muito bem no trabalho, todo mundo interessado, está agradável trabalhar e, ainda mais com essa temperatura, que deixa a coisa muito corrida”, destaca. Para ele, o frio tem contribuído bastante para os treinamentos, apesar de ninguém concordar muito com essa teoria no CT do Caju. “Os trabalhos estão muito fortes e nós estamos bem preparados para esse jogo”, aponta.

A maior alteração durante a semana aconteceu no esquema tático. Sai o tradicional (no clube) 3-5-2 e entra o 4-4-2. A mudança é uma espécie de preparação para a possibilidade de Washington, Ilan e Dagoberto atuarem juntos. Isso porque o centroavante foi definitivamente vetado pelos médicos, por causa dos problemas na coxa esquerda, e sequer viajou para São Paulo.

Além disso, a improvisação de Fernandinho na ala-direita não trouxe os resultados desejados e o jogador foi colocado na sua posição real: a meia-cancha. Com isso, o zagueiro Ígor foi sacrificado para a entrada do lateral-direito Raulen e o volante Bruno Lança substituiu Alan Bahia, em recuperação médica.

No ataque, Levir reedita a dupla de ataque do início da temporada – Dagoberto e Ilan. Fora há duas semanas, Dagoberto recuperou-se de uma lesão na coxa, e torna-se uma das principais armas atleticanas. Nas demais posições, Levir mantém os mesmos jogadores que venceram o Peixe na última rodada.

De contrapeso a titular da lateral

O polivalente Raulen chegou ao CT do Caju como contrapeso na negociação do zagueiro Gustavo com o São Caetano. Indicado por Mário Sérgio e cercado de desconfianças, jogando como meia, ganhou apenas algumas oportunidades com o ex-treinador, mas sem se destacar. Agora, quem está enxergando nele um futuro e promissor lateral-direito é o técnico Levir Culpi. Em entrevista ao Paraná-Online, ele aposta na camisa 2 para se fixar entre os titulares do Atlético e brilhar no cenário nacional, mas mantém a mesma disposição para atuar onde o chefe mandar.

Paraná-Online- Como você está recebendo esta chance de ser o novo titular da lateral-direita?

Raulen – A gente vem trabalhando com seriedade, está surgindo a oportunidade de sair jogando, e vou tentar aproveitar da melhor maneira possível.

Paraná-Online- É a chance que você queria para se firmar na equipe?

Raulen – Com certeza, eu tenho o objetivo na vida de poder jogar. A chance está aparecendo e, se Deus quiser, se firmar nessa posição.

Paraná-Online- A lateral-direita é a posição que você quer abraçar daqui para frente?

Raulen – Eu quero jogar, não importa se eu vou jogar na lateral, se vou jogar no meio. O importante é jogar.

Paraná-Online – Como está a preparação para enfrentar o Corinthians?

Raulen – O Levir me passou algumas determinações. Ele mandou eu marcar mais porque não vinha atuando na lateral, corrigir um pouco esse fundamento, mas, no mais, está tudo bem. A gente está esperando uma equipe bastante forte lá e não sabemos se eles virão com três atacantes ou com dois.

Timão com “espírito de Poliana”

São Paulo (AE) – Já que a Copa do Brasil faz parte do passado, a ordem no Corinthians é sacudir a poeira. Para isso vale até recorrer ao velho espírito de Poliana (personagem das fábulas que sempre vê o lado positivo de tudo). “Todos gostariam de ficar na Copa do Brasil. Porém, é verdade que fora dessa competição podemos nos dedicar melhor ao campeonato brasileiro”, explicou o técnico Oswaldo de Oliveira. “Em um grupo jovem como o nosso, disputar dois torneios é complicado para a cabeça dos atletas.”

E o primeiro teste para a nova estratégia é hoje, em casa, diante do Atlético-PR. Não bastasse analisar o desempenho dos jogadores, a comissão técnica e a diretoria poderão verificar até que ponto o fracasso na Copa do Brasil afetou o ânimo da torcida. Ainda dentro do novo espírito, Oswaldo faz questão de se mostrar otimista. “Até aqui a torcida tem sido um espetáculo. Tem nos apoiado de uma forma até comovente”, afirmou.

Mas nem tudo vai ser tão simples. O time vai entrar desfalcado de dois titulares. O zagueiro Anderson foi condenado a dois jogos de suspensão pela expulsão diante do Fortaleza, ainda pela Copa do Brasil. Como já cumpriu um, fica fora. O outro é o volante Fabinho, pelo cartão vermelho na última partida, quinta-feira, derrota para o Vitória por 2 a 0.

CAMPEONATO BRASILEIRO
CORINTHIANS X ATLÉTICO

Corinthians: Fábio Costa; Coelho, Betão, Valdson e Renato; Wendel, Rincón, Rogério e Gil; Jô e Marcelo Ramos. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Atlético: Diego; Raulen, Marinho, Fabiano e Marcão; Bruno Lança, William, Fernandinho e Jádson; Ilan e Dagoberto. Técnico: Levir Culpi

Súmula
Local:
Pacaembu (São Paulo-SP)
Horário: 18h
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (FIFA-SC)
Assistentes: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Vayran Silva Rosa (SC)