Foto: Valquir Aureliano

Marcelo Ramos, que está há seis jogos sem balançar as redes, diz que cabe ao árbitro punir em caso de jogada mais dura.

Hoje é dia da torcida lotar a Arena e incentivar o Atlético em busca de mais uma importante vitória no Brasileirão. Afinal de contas, o jogo é um dos mais esperados pela massa rubro-negra nesta reta final de campeonato e o contexto não poderia ser melhor. O Grêmio vem a Curitiba necessitando dos três pontos, pois quer se manter vivo na briga por uma das vagas à Libertadores. Para o Furacão, a vitória significa o sepultamento definitivo do pesadelo do rebaixamento e a possibilidade de manter-se firme rumo à Sul-Americana. O confronto está marcado para as 19h30.

A partida também marca o reencontro das duas equipes após a Batalha do Olímpico, ocorrida no 1.º turno, na qual o clube paranaense teve o saldo de dois jogadores gravemente lesionados (Alex Mineiro e Evandro) e outro expulso (Claiton).

Passados três meses, o clima de guerra não existe nem do lado atleticano e muito menos dos gremistas, que agora são os visitantes. A grande preocupação dos times, no momento, é jogar futebol. ?Estamos cobrando dos nossos atletas que entrem em campo para apresentar um belo futebol. Esse clima de rivalidade já foi muito conversado e está superado. Quem for ao estádio vai ver um Atlético jogando firme, marcando duro, mas sem fugir das regras do jogo?, explicou o técnico Ney Franco.

O experiente Marcelo Ramos disse que todo o elenco atleticano está encarando o jogo ?da forma mais tranqüila possível?, e que todos os ingredientes externos não podem influir no comportamento dentro de campo. ?O Atlético vive um bom momento, principalmente atuando dentro da Arena. Claro que sabemos que contra o Grêmio a marcação vai ser forte e temos que estar atentos. Se tiver alguma jogada um pouco mais dura cabe à arbitragem punir?, analisou o atacante.

Duelo

Para derrotar o time gaúcho, o comandante rubro-negro vai colocar em campo o mesmo time que começou jogando contra o Cruzeiro. Alex Mineiro, que não tem condições de jogar os 90 minutos, é opção de banco. ?É um jogador para ser utilizado do intervalo pra frente e colocá-lo vai depender da leitura do jogo?, afirmou.

Uma das preocupações de Franco é quanto as jogadas de bola parada do adversário, que em seu último jogo soube utilizar muito bem a estatura de seus dois centroavantes, Tuta e Marcel. Entretanto, é grande a possibilidade de Mano Menezes escalar apenas um deles e voltar com Jonas no ataque. ?Com Tuta e Marcel, que têm perfil de área, o Grêmio ganha em bolas aéreas, mas se optar por Jonas é diferente. Muda a forma do Grêmio atuar. Mas como jogamos com três zagueiros, nossa marcação não muda. Cada zagueiro em um atacante e outro na sobra?, simplificou Franco.

A preocupação atleticana para que a partida não se torne uma nova guerra está relacionada ao recebimento de cartões. Jogadores importantes estão pendurados e poderiam comprometer o desempenho do Furacão na seqüência.

34.ª rodada do Campeonato Brasileiro

Atlético-PR x Grêmio

Local: Estádio Joaquim Américo, Arena da Baixada, em Curitiba

Hora: 19h30

Atlético:

Viáfara, Rhodolfo, Antônio Carlos e Danilo; Jancarlos, Valencia, Netinho, Claiton e Michel; Ferreira e Marcelo Ramos. Técnico: Ney Franco.

Grêmio:

Saja; Bustos, Léo, William e Hidalgo; Eduardo Costa, Sandro Goiano, Tcheco e Diego Souza; Jonas (Marcel) e Tuta. Técnico: Mano Menezes.

Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (FIFA- SC).

Assistentes: Carlos Berkenbrock (SC) e Helberth Costa Andrade (MG).

A zaga do Atlético está vacinada e não teme as jogadas aéreas do Grêmio

Foto: Valquir Aureliano

O zagueiro Antônio Carlos diz que conhece bem os atacantes gaúchos e espera que o Furacão faça um bom jogo.

A defesa rubro-negra está preparada para as jogadas aéreas do Grêmio e também para definir a partida com gols, se tiver chances. Para o zagueiro Antônio Carlos, o Grêmio é uma equipe perigosa, de boa estatura e que sabe usar com eficiência as jogadas de bola parada. Por isso, ontem o elenco atleticano iria ver o teipe da vitória do time gaúcho sobre o Náutico, na última rodada, para estudar um melhor posicionamento.

O defensor destacou que conhece qualquer um dos centroavantes que vier a jogar contra o Atlético. ?O Marcel, eu já joguei contra. É um jogador forte e tem facilidade para girar e chutar. O Tuta, jogamos juntos e sei como ele joga. Mas espero que o Atlético faça um bom jogo, independente de quem jogar?, analisou.

De acordo com Ney Franco, a bola parada pode ser decisiva neste jogo, tanto para o Grêmio quanto para o Furacão. ?Temos um potencial enorme (nesse tipo de jogada) e a nossa defesa se acertou na marcação da bola aérea. Devido à qualidade do adversário será um bom teste para nós?, afirmou.

Se a defesa está ajustada, o ataque está com fome de gols. Principalmente Marcelo Ramos, que não balança a rede há seis jogos. O atacante disse que está motivado para jogar e tranqüilo, apesar dos gols não estarem saindo. ?Sigo trabalhando forte para melhorar a finalização e quero seguir jogando para marcar gols?, disse. Sobre a possibilidade de atuar juntamente com Alex Mineiro, Ramos destacou a qualidade do seu ?rival? e acredita que não teria problema se o treinador escalasse os dois atacantes. ?É um amigo particular que tenho. Vim para o Atlético para ajudar da melhor maneira possível. Não vejo problema em atuarmos juntos. É um jogador com muita técnica e visão de jogo. O importante é que o Atlético tem boas opções?, finalizou.