Com a derrota por 4 x 2 no clássico de ontem, o Atlético deixou ainda mais em evidência a fragilidade da defesa. O Furacão agora é o segundo time mais vazado deste Campeonato Paranaense, empatado com o Rio Branco, que tmbém tomou 18 gols, e apenas à frente do lanterna Paraná, que já sofreu 21.

Manoel e Rafael Santos, que deveriam contar com a ajuda de Fransérgio e Vítor para proteger a zaga, não conseguiram parar o ataque do Coritiba, que no primeiro tempo já havia consolidado a vitória e garantido vaga na final do Estadual.

A falta de combatividade, deixou o elenco ficou sem explicações. Madson e Paulo Baier, que não tiveram uma noite inspirada, deixaram o Couto Pereira indignados com o próprio time. “É lamentável! O Coritiba foi superior e logicamente que não fizemos um bom primeiro tempo. Tomamos os gols muito cedo”, reconheceu Baier.

Madson foi ainda mais direto ao falar da derrota. “Não tem justificativa, perdemos o jogo e pronto. Ainda tentamos, fizemos dois gols, pressionamos, mas…”, descreveu o camisa 11.

A dupla, sem conseguir explicar o que aconteceu com o time apático em campo, se agarra no segundo turno como incentivo para a recuperação do clube no Paranaense. “Vamos esperar uma revanche no segundo turno, mas de qualquer jeito tem que pontuar para chegar dentro de casa e conseguir [a vitória]. Aí vamos decidir a final”, disse Madson.

Mas a derrota, que mantém o jejum do Furacão em Atletibas, pode antecipar a chegada do novo treinador, que, muito provavelmente, não será Caio Júnior.