Um futuro promissor. É isso o que se pode vislumbrar para o Atlético, principalmente com a safra de jovens valores que aportou no clube nesta temporada.

Com o afastamento recente de cinco jogadores e a inclusão de atletas oriundos da base, mais da metade do atual elenco é formado por meninos forjados no CT do Caju.

Para se ter ideia da invasão da garotada, em todos os setores há pelo menos um disputando posição. Na zaga, inclusive, há um exagero que deverá ser corrigido pela diretoria com a chegada de outro xerifão mais experiente.

Isso se faz necessário, pois apesar de terem qualidade, os cinco zagueiros do plantel são da base. O mais rodado é Rhodolfo. Os demais subiram após a performance na Copa São Paulo. Casos de Bruno Costa, Manoel, Carlão e Ronaldo.

Atualmente o grupo é composto por 33 jogadores. Destes, 19 vieram da base e 12 subiram em 2009.

Aposta

Com poucos recursos para investir em “jogadores de nome”, a diretoria apostou em mesclar experiência e juventude na montagem do Atlético 2009.

Como a safra de garotos é considerada muito boa, a intenção foi contratar atletas que pudessem guiar e passar experiência aos companheiros mais novos.

Assim chegaram à Baixada Marcinho, Paulo Baier, Alex Mineiro e, por último, Claiton.

Com as aquisições, buscou-se o equilíbrio, que somente agora o Atlético parece estar encontrando.

Baier, um dos alicerces, em suas entrevistas faz questão de ressaltar a jovialidade da equipe e que, com muito trabalho, ainda pode gerar bons frutos ao clube. Após a vitória diante do Cruzeiro, comentou: “O time é muito jovem. Eu, o Galatto e o Marcinho temos que ajudar, incentivar e cobrar também. E os garotos estão entendendo bem essas cobranças, já que é para o bem do clube. Estamos no caminho certo”, analisou o atleta de 34 anos.

O goleiro Galatto também ressaltou o bom convívio entre as gerações e que a mudança de atitude da equipe nos últimos jogos se deve à união. “O grupo teve uma conversa muito forte e deu certo. Agora no Atlético é olho no olho, um fala e outro escuta. Se está errado fala também. Não só os mais velhos, os mais novos têm que entrar e corresponder. Não adianta ter oportunidade e não fazer por onde. É importante para eles ter o convívio com jogadores mais experientes”, finalizou.

Novos

Antônio Lopes também viu qualidade na garotada, tanto que Patrick e Gabriel Pimba foram muito elogiados. Além deles já tiveram chance neste Brasileirão, os laterais Raul e Alex Sandro, os volantes Renan e Fransergio, o meia Jhonatan e o atacante Marcelo. Muitos deles não renderam o esperado, mas alguns foram colocados em verdadeiras fogueiras.

O Delegado já adiantou que os garotos terão oportunidades, pois faz parte de sua filosofia trabalhar com jovens. Mas ele ressaltou que quer colocá-los em campo num ambiente mais propício, sem tanta pressão para que possam render.