O Mundial de Atletismo, que começou nesta sexta-feira à noite (no horário de Brasília) – manhã de sábado local -, em Pequim, na China, teve a sua primeira surpresa logo na primeira competição. Ghirmay Ghebreslassie, um atleta da Eritreia de 19 anos que corria pela terceira vez uma maratona, surpreendeu a todos ao conquistar a primeira medalha de ouro em jogo na competição com o tempo de 2h12min27.

O etíope Yermane Tsegay, que chegou a colar em Ghebreslassie a 4km do final da prova, teve que se conformar com a medalha de prata, com o tempo de 2h13min07, seguido pelo ugandense Solomon Mutai, com 2h13min29. O também ugandense Stephen Kiprotich, campeão mundial e olímpico, e o queniano Dennis Kimetto, recordista mundial, partiam como favoritos entre os 68 corredores, mas ficaram fora do pódio.

Ghirmay, cujo sobrenome é similar ao do mítico fundista etíope Haile Gebrselassie, havia conquistado a segunda colocação na Maratona de Hamburgo, na Alemanha, neste ano, e a sexta posição na de Chicago, nos Estados Unidos, em 2014.

Três brasileiros participaram da prova. O único a conseguir completar os 42,210km debaixo do sol forte de Pequim foi Solonei da Silva, que até conseguiu figurou entre os líderes nos primeiros 15 quilômetros e terminou em 18.º lugar, com o tempo de 2h19min19. O resultado ficou bem aquém do que o fundista esperava, que era a marca de 2 horas e 10 minutos para ficar perto de vaga na Olimpíada de 2016, no Rio.

Edmilson Santana abandonou na altura dos 10km e Gilberto Lopes desistiu pouco depois, com cerca de 20km de disputa.