Atual campeão da Copa do Brasil o Athletico foi eliminado da competição na única fase que participou. Nesta quarta-feira (4), o Furacão foi ao Maracanã para a partida de volta das oitavas de final, e saiu derrotado por 3×2.

No placar agregado, os cariocas venceram por 4×2, considerando o triunfo da ida, por 1×0 na Arena. Os gols foram assinalados por Pedro, que balançou as redes duas vezes, e Michael, para os donos da casa, e Erick e Bissoli para os paranaenses. Reclamando de lances polêmicos, mas sem força em campo, a equipe atleticana se despediu do sonho do bicampeonato.

O Rubro-Negro agora amarga 11 jogos sem vencer na temporada e concentra todo o foco no Brasileirão, disputa em que aparece na zona de rebaixamento, em uma situação crítica, com apenas 16 pontos somados em 18 jogos. O próximo compromisso do time será diante do Fortaleza, no sábado (7), na Arena da Baixada.

Confira como foi o jogo no Tempo Real!

O sonho do bicampeonato na Copa do Brasil foi interrompido de forma apática. O Athletico começou a partida apenas se defendendo e deixando os donos da casa dominarem totalmente a partida. Aos 23, o atacante Pedro abriu o placar. Matheuzinho, na direita, tocou para o artilheiro na área, que dominou, girou com tranquilidade e tocou por cima para abrir o marcador.

Aos 33, novamente Pedro marcou. Everton Ribeiro mandou para Matheuzinho na área e o lateral deu um toque para Pedro, que só empurrou a bola para o fundo da meta de Santos.

No final da primeira etapa o Furacão descontou com Erick. Aos 40, o jogador ficou com a sobra após um erro de passe de William Arão. Da entrada da área, o volante chutou com categoria, não dando chance para o goleiro Hugo.

Polêmicas

Aos 26 da primeira etapa, o árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira marcou pênalti a favor do Rubro-Negro por lance de Léo Pereira em Carlos Eduardo. O VAR foi consultado, as imagens vistas e o árbitro entendeu que o zagueiro do Flamengo chutou a bola antes de acertar o jogador do Furacão. Com isso, o pênalti foi anulado.

Aos 32, Carlos Eduardo disputou uma bola com Hugo. Lucho pegou a sobra e ajeitou para Erick, mas Rodrigo Dalonso Ferreira apitou antes de o volante finalizar por falta no goleiro do time carioca. Os jogadores reclamaram muito, pois entenderam que árbitro deveria deixar a jogada ser concluída antes de interferir.

45 minutos finais

Na segunda etapa, o Athletico começou retraído, mas chegou a criar oportunidades, como a inversão de Abner Vinícius para Carlos Eduardo na área, na direita, aos 22. Porém, o goleiro Hugo, assim como tinha feito no jogo da ida, fechou a meta e impediu uma reação atleticana.

+ Veja o chaveamento completo da Copa do Brasil!

O Flamengo ainda teve um gol anulado aos 31. Thiago Maia marcou, mas Isla, que deu o passe estava impedido. Ainda assim, os cariocas chegaram ao terceiro gol com Michael, aos 38.

Nos minutos finais, Bissoli, que entrou no segundo tempo, ainda descontou para o Furacão, aos 43. Mas já era tarde para buscar uma reação e o time volta para Curitiba com mais uma derrota.

Ficha técnica

COPA DO BRASIL
Oitavas de final – Jogo de volta
04/11/2020

FLAMENGO 3×2 ATHLETICO

Flamengo
Hugo Souza; Matheuzinho (Isla), Léo Pereira, Matheus Thuler e Filipe Luís (Renê); Willian Arão, Thiago Maia e Gerson; Éverton Ribeiro (Michael), Bruno Henrique (Ramon) e Pedro (Lincoln)

Athletico
Santos; Khellven (Richard), Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Wellington (Alvarado), Erick e Lucho González (Ravanelli); Carlos Eduardo (Christian), Reinaldo e Fabinho (Bissoli). Técnico: Paulo Autuori.

Local: Maracanã (Rio de Janeiro-RJ).
Gols: Pedro, 23 e 33, e Erick, 40 do 1º; Michael, 38, e Bissoli, 43 do 2º
Cartões amarelos: Léo Pereira, Thiago Maia (FLA); Abner, Ravanelli e Paulo Autuori (CAP).
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC).
Assistentes: Alex dos Santos (SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC).
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SC).


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?