No reencontro do Athletico com sua torcida depois da conquista da Copa do Brasil, o Furacão bateu o Fortaleza por 4×1 na noite desta quarta (26), na Arena. A vitória pôs fim no jejum de vitórias no Campeonato Brasileiro, que já durava três rodadas. Com o resultado, o Furacão chegou aos 30 pontos e manteve-se na nona posição na classificação do torneio. Cada vez mais tranquilo na Série A, o time do técnico Tiago Nunes volta a jogar em casa neste domingo (29), às 19h, diante da Chapecoense.

No Caldeirão, sobraram homenagens, gritos de “é campeão” e comemorações. Em campo, o Athletico iniciou o jogo pressionando. Aliás, como sempre faz nos jogos dentro da Arena da Baixada. Diante de um adversário um pouco assustado, o time atleticano, logo nos primeiros minutos, poderia ter aberto o placar em duas investidas de Nikão, mas que o goleiro Marcelo Boeck levou a melhor.

+ Veja como foi o jogo na Arena

Não demorou para surgir a primeira polêmica da noite. Depois da cobrança de escanteio, Wellington Paulista tentou de cabeça e a bola bateu no braço do zagueiro Léo Pereira. A arbitragem nada marcou, mas depois de reverter o lance no VAR, o árbitro Vinicius Gomes do Amaral marcou a penalidade. O próprio atacante do Fortaleza cobrou bem e abriu o placar na Arena aos 10 minutos.

O lance desestabilizou um pouco o Athletico. Antes mais tranquilo e jogando a vontade, o Furacão parece ter acusado o golpe. Minutos mais tarde, o Furacão reclamou de uma penalidade, que não aconteceu. O Fortaleza, por sua vez, se fechou. Com mais posse de bola, o Rubro-Negro sufocou os cearenses. O empate quase veio em duas cobranças seguidas de escanteio, mas Léo Pereira e Rony erraram o alvo.

Marco Ruben abriu o placar do Furacão. Foto: Albari Rosa
Marco Ruben abriu o placar do Furacão. Foto: Albari Rosa

O gol do Athletico estava maduro e saiu aos 31 minutos. Rony cruzou, Marco Ruben desviou no meio do caminho e venceu Marcelo Boeck. O gol deu ainda mais gás para o Furacão buscar a virada ainda no primeiro tempo. Só que o Fortaleza passou a ser perigoso nos contra-ataques. Aos 45, Felipe Pires arrancou e, dentro da área, mandou por cima a chance de marcar. A virada rubro-negra veio ainda no primeiro tempo. Aos 48, Rony fez a jogada, a defesa do Leão deu bobeira e Nikão aproveitou para marcar no apagar das luzes da etapa inicial.

Nem mesmo a vitória parcial foi capaz de conter o ímpeto ofensivo do Athletico. O Rubro-Negro seguiu jogando em cima e criando uma chance atrás da outra, sobretudo porque conseguia envolver o Fortaleza. Aos cinco minutos, Léo Cittadini arriscou de longe e o goleiro Marcelo Boeck fez grande defesa.

Léo Cittadini fez o terceiro na Arena. Foto: Albari Rosa
Léo Cittadini fez o terceiro na Arena. Foto: Albari Rosa

O Fortaleza até tentou reagir. Saiu mais para o jogo, rondava a área do Athletico, mas faltava qualidade ao Leão. O Furacão, com espaços e com tranquilidade, aproveitou para encaminhar a vitória. Aos 15 minutos, depois da cobrança de escanteio e do desvio de Nikão, Léo Cittadini, com oportunismo, mandou sem chances para Marcelo Boeck e ampliou a vantagem do time atleticano.

O gol praticamente definiu o jogo. O Fortaleza acusou o golpe e já não tinha força ofensiva para conseguir furar o bloqueio defensivo do Athletico. Assim, o torcedor atleticano já nem tanto preocupado com a partida, não parava de gritar “é campeão”, ainda comemorando a conquista recente da Copa do Brasil.

+ Confira a classificação do Brasileirão

Diante da postura mais agressiva do Fortaleza, o Athletico seguiu tendo espaços. Aos 32, Madson apareceu livre e só não transformou a vitória em goleada graças ao goleiro Marcelo Boeck. O duelo seguiu morno em campo. E ainda cabia mais. Aos 49, Marcelo Cirino aproveitou o rebote da trave na tentativa de Thonny Anderson e bateu sem chances para Marcelo Boeck, fechando com chave de ouro a noite de festa rubro-negra no Caldeirão.

FICHA TÉCNICA
BRASILEIRÃO
2º Turno – 21ª Rodada

ATHLETICO 4X1 FORTALEZA

Athletico
Santos; Madson, Lucas Halter, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington (Lucho González), Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Nikão, Rony (Marcelo Cirino) e Marco Ruben (Thonny Anderson).
Técnico: Tiago Nunes

Fortaleza
Marcelo Boeck; Tinga, Quintero (Nathan), Jackson e Carlinhos; Juninho, Gabriel Dias e Romarinho; Matheus Vargas (Araruna), Felipe Pires (Marlon) e Wellington Paulista.
Técnico: Zé Ricardo

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Vinicius Gomes do Amaral (RS)
Assistentes: Lucio Beiersdorf Flor (RS) e José Eduardo Calza (RS)
VAR: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Gols: Wellington Paulista, 10, Marco Ruben, 31, Nikão, 48 do 1º; Léo Cittadini, 15, Marcelo Cirino, 49 do 2º
Cartões amarelos: Wellington, Léo Pereira, Thonny Anderson (CAP)
Renda: R$ 184.015,00
Público total: 12.970