A vitória do Athletico em cima do Bahia pode representar o início de uma crescente do time na Série A do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (05), o Rubro-Negro foi até a Arena Fonte Nova, bateu os donos da casa por 2×1, e conquistou seu terceiro triunfo fora de casa na competição. Mesmo que os números de conquistas como visitante sejam ainda baixos, o placar em cima do tricolor baiano pode ser considerado o início de uma reação do Brasileirão. O time soma 34 pontos e é o nono na tabela, provisoriamente.

Comemorando muito a conquista, os jogadores do Furacão deixaram claro que o elenco tem grandes aspirações para a Série A. Marcelo Cirino, autor do primeiro gol atleticano, explicou que a equipe não está acomodada, apesar de já tem vaga para a Copa Libertadores garantida. O Athletico se credenciou à competição após se consagrar como campeão da Copa do Brasil.

+ Confira a classificação da Série A

“Para muitas equipes nós vamos jogar apenas pra disputar o Brasileiro, mas não é isso. A gente almeja coisas grandes e vamos lutar até o fim. Mais uma vez fizemos nosso melhor e conseguimos a vitória”, ressaltou o atacante.

Léo Pereira voltou a jogar com Thiago Heleno ao lado. Foto: Felipe Oliveira/Bahia
Léo Pereira voltou a jogar com Thiago Heleno ao lado. Foto: Felipe Oliveira/Bahia

Outro jogador que teve motivos para celebrar a conquista dos três pontos foi o zagueiro Thiago Heleno. Sem entrar em campo por um período de seis meses, por conta do caso de doping, o atleta se sentiu gratificado em poder contribuir com a equipe nessa busca por ‘escalar’ a tabela do Brasileiro. “Primeiramente quero agradecer pela força que recebi nesse tempo parado. Voltei em um jogo difícil, fora de casa, mas lutamos e conseguimos um placar positivo”, disse.

+ Veja como foi a vitória do Furacão no lance a lance

O defensor não aguentou os 90 minutos de jogo, uma vez que estava sem atuar por um longo período. Ele saiu na segunda etapa, aos 24 minutos, para dar lugar a Adriano. Mesmo sem jogar toda a partida, ele se sentiu feliz por retornar aos gramados e contribuir com o time.  “Estava com dor na panturrilha, pensei até em sair no intervalo, mas consegui jogar mais 25 minutos. É difícil ficar tanto tempo parado, mas retornei com pé direito”, arrematou.