Ficou tudo para o Maracanã. Apesar da boa atuação, com direito a polêmicas, três gols anulados e de ter dominado quase todo o jogo, o Athletico empatou em 1×1 com o Flamengo, na noite desta quarta-feira (10), na Arena da Baixada e terá que vencer o time carioca na partida de volta, quarta-feira que vem, no Rio de Janeiro, se não quiser depender das penalidades para avançar para a semifinal da Copa do Brasil. Antes disso, o Furacão volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro contra o Internacional, neste domingo (14), às 16h, novamente no Caldeirão.

Com uma formação mais ofensiva e com Nikão atuando mais recuado, na criação, o Athletico teve certa dificuldade para se encontrar no jogo. O Flamengo, na estreia do seu comandante Jorge Jesus, iniciou a partida marcando o Furacão sob pressão. A primeira chance, então, foi do time carioca, mas Vitinho, depois da jogada de Willian Arão, errou o alvo.

+ Veja como foi o jogo na Arena

Mas, aos poucos, o Athletico conseguiu equilibrar a partida. Foi, então, a vez do Furacão encaixar a marcação sob pressão no campo do adversário. O Furacão passou a criar chances seguidas de tirar o zero do placar. Aos 18 minutos, o zagueiro Léo Duarte recuou errado e Marcelo Cirino quase marcou. Um minuto mais tarde, o atacante Marco Ruben chegou a marcar, mas o impedimento foi anotado corretamente.

Com o Athletico todo no campo do Flamengo, o time carioca conseguia chegar ao ataque somente nos erros do Furacão. O primeiro gol da equipe atleticana parecia ser questão de tempo. E ele veio aos 34 minutos, novamente com Marco Ruben, mas o gol foi anulado. Desta vez o lateral-direito Jonathan estava impedido na origem da jogada.

O jogo esquentou nos minutos finais do primeiro tempo. O Flamengo só não marcou aos 42 porque o goleiro Santos fez boa defesa no chute de Willian Arão. Nikão respondeu à altura. O camisa 11 chutou da entrada da área e o goleiro Diego Alves fez grande defesa. Mas a grande chance do Athletico veio já nos acréscimos. Depois da cobrança de escanteio, a defesa flamenguista falhou e Lucas Halter, livre na pequena área, mandou por cima a última chance da etapa inicial.

Etapa final

A volta para o segundo tempo iniciou em ritmo intenso. O Flamengo teve a primeira chance com Gabigol, aos dois minutos, mas Santos fez grande defesa. A resposta do Furacão foi a altura, mas em bola na rede. Nikão cobrou escanteio, a defesa do time carioca falhou e Léo Pereira, livre no segundo pau, abriu o placar e fez a festa da torcida na Arena da Baixada.

O Athletico poderia ter ampliado o placar aos 12 minutos em um lance que causou muita polêmica. Marcelo Cirino recebeu livre e, na cara do gol, errou o alvo. O camisa 10 pediu a penalidade, o árbitro Anderson Daronco consultou o VAR e, depois de quase cinco minutos, o juiz anotou a falta para o Flamengo na origem do lance. O Furacão perdeu a concentração e, na sequência do lance, Gabigol recebeu na cara do gol, tocou por cima do goleiro Santos e empatou a partida aos 19 minutos.

O Athletico acusou o golpe. O time sentiu e se perdeu em campo. Aliado a isso, as entrada de Diego e Everton Ribeiro deixaram o Flamengo mais ofensivo. A virada, então, quase veio aos 21 minutos. Gabigol subiu livre e quase marcou. Na sequência, depois da cobrança de escanteio, Bruno Henrique apareceu entre os defensores, cabeceou no canto e o goleiro Santos fez grande defesa.

Aos poucos, o Athletico equilibrou novamente a partida e voltou a assustar o goleiro Diego Alves. Rony mudou de lado e, aos 27, fez boa jogada pela direita, cruzou, mas Marco Ruben não chegou. A melhor chance do segundo gol atleticano veio quatro minutos mais tarde. Bruno Nazário, que tinha acabado de entrar na vaga de Nikão, teve nos pés a oportunidade de marcar, mas o camisa 77, na marca do pênalti, bateu em cima da defesa flamenguista.

O jogo ficou aberto no final. O Athletico, apesar de não ter muita organização, foi com tudo para o ataque. Aos 38 minutos, Marcelo Cirino marcou o segundo gol, mas a arbitragem anulou pela terceira vez o lance de gol do Furacão. O time atleticano não se abalou e seguiu buscando a vitória para ter vantagem na partida de volta.

O Flamengo, por sua vez, deu um passo para trás para segurar o empate. O time carioca, obediente taticamente, fez bem seu papel e conseguiu minar as investidas do Athletico. Apesar da insistência do Furacão, prevaleceu a boa postura defensiva dos visitantes, que garantiram a igualdade na Arena da Baixada.
COPA DO BRASIL
Quartas de final – Ida

Athletico 1×1 Flamengo

Athletico
Santos; Jonathan, Léo Pereira, Lucas Halter (Robson Bambu) e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Nikão (Bruno Nazário); Rony, Marco Ruben e Marcelo Cirino (Vitinho).
Técnico: Tiago Nunes

Flamengo
Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Willian Arão, Cuéllar (Everton Ribeiro), Vitinho (Diego) e Arrascaeta; Bruno Henrique (Piris da Motta) e Gabigol.
Técnico: Jorge Jesus

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Leirson Peng Martins (RS)
Gols: Léo Pereira, 4, Gabigol, 19 do 2º
Cartões amarelos: Léo Pereira (CAP); Rodinei (FLA)
Público total: 22.825
Renda: R$ 982.465,00

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre nossa regiãofutebolentretenimento horóscopo, além de blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!